Injustiça? Desigualdade?

Talvez… mas eu acho que eles estão bem na Madeira, nós é que estamos mal. E, em conformidade, acho que devemos lutar pelo mesmo e não criticar quem conseguiu aquilo a que tem direito. Há uma fina (?) linha que defende a luta por conseguir o melhor para todos e a lógica do “se eu não tenho, tu também não”.

Despacho garante 100% no acesso ao 5.º e 7.º escalão

Madeira

Levam Tau-Tau, Menin@s Esquecid@s!

O emoji vem mesmo no original do “convite”… a dar a entender que não se entende como não se inscreveram em formação tão apetecível.
.
De: Direção-Geral da Educação <dge@dge.mec.pt>
Date: quinta, 13 de fev de 2020, 14:26
Subject: Seminários “Líderes Pedagógicos num Processo AFC – Nível II” – Convite
To: ***************
.

Exmo.(a) Senhor(a) Diretor(a)/Presidente da CAP,

No seguimento do email infra, remetido por estes serviços em 06-02-2020, tendo-se verificado que V. Exa. não procedeu à sua 🤔inscrição no Seminário em apreço, relembra-se de que poderá fazê-lo ainda no dia 13 de fevereiro de 2020, em http://area.dge.mec.pt/amdc-lideresII-porto.

O formulário eletrónico (link acima indicado) disponibiliza a possibilidade de o Seminário em apreço se assumir como Ação de Curta Duração (ACD).

Mais se informa que a inscrição nas ações de formação pressupõe o registo prévio no Portal de Gestão da Formação da DGE. Caso ainda não se encontre registada queira, por favor, aceder a:

http://formacao.dge.min-educ.pt

e preencher o formulário eletrónico a que tem acesso, após selecionar Novo Registo (como formanda) na janela de autenticação.

Para outros esclarecimentos sobre o registo e/ou inscrição na ACD, poderá contactar a secção de formação da DGE, através do endereço eletrónico: formacao@dge.mec.pt.

Com os melhores cumprimentos,

A Chefe de Equipa de Acompanhamento e Monitorização do Desenvolvimento Curricular

Cristina Palma

Eis o mail infra;

Exmo.(a) Senhor(a) Diretor(a)/Presidente da CAP,

Dando continuidade aos momentos de reflexão conjunta sobre o desenvolvimento da autonomia e a flexibilidade curricular nas escolas, realizados no âmbito dos Seminários, sob o tema geral “Líderes Pedagógicos num Processo de Autonomia e Flexibilidade Curricular,  e que mereceram um avaliação muito positiva por parte dos participantes, convida-se V/ Exa. a participar no novo ciclo de 4 Seminários – Nível II (cf. quadro infra), dinamizados pela Direção-Geral da Educação (DGE), a realizar entre fevereiro e maio de 2020.

Para participar no Seminário 1 – A Gestão da Mudança: Desafios e oportunidades para a transformação das Escolas – Turma 1 Porto, deverá proceder à sua inscrição até ao dia 13 de fevereiro de 2020, em http://area.dge.mec.pt/amdc-lideresII-porto. Caso assim o pretenda, poderá solicitar que a frequência dos Seminários seja considerada como Ação de Curta Duração (ACD) para efeitos da respetiva certificação, no momento de inscrição, e a partir do formulário eletrónico disponibilizado. Salienta-se que a inscrição na ACD apenas será possível se se encontrar registado na plataforma de formação da DGE. Para outros esclarecimentos sobre o registo e/ou inscrição na ACD, poderá contactar a secção de formação da DGE, através do endereço eletrónico: formacao@dge.mec.pt.

FormaLider

Mais se informa que as inscrições para os próximos 3 Seminários terão lugar individualmente, através do preenchimento de um formulário eletrónico próprio que será enviado oportunamente por mensagem eletrónica.

Contamos com a V/ presença e participação ativa.

Com os melhores cumprimentos,

A Chefe de Equipa de Acompanhamento e Monitorização do Desenvolvimento Curricular

Cristina Palma

 

Postal Aos Pseudo-“Novos”

(que em muitos casos estão longe de o ser… tomara que fossem, como eu já fui, mas sem a parte da inveja e da pequenez de vistas…)

A quem anda por aí a fazer o frete ao ME de desunir ainda mais os professores com base na idade e nos escalões salariais, abrindo caminho para o aplainamento da mesma, gostaria de perguntar se achariam justo que se voltasse a pagar com base no grau académico actual ou de ingresso inicial na carreira. Ou que, por exemplo, fossemos escavar a habilitação de muita gente para os grupos de docência que leccionam. Porque podemos sempre arranjar “injustiças”, bastando a forma de olhar para as coisas.

Segundo o Cipolla, na sua terceira “lei” sobre o assunto, a estupidez define-se por se causar mal a outrem sem se ganhar nada com isso.

É estúpido aquele que causa danos a um outro indivíduo ou um grupo de indivíduos, ao mesmo tempo em que não retira de sua ação nenhum benefício para si mesmo, podendo inclusive incorrer em prejuízos.

Já agora:

The Third Basic Law assumes, although it does not state it explicitly, that human beings fall into four basic categories: the helpless, the intelligent, the bandit and the stupid. It will be easily recognized by the perspicacious reader that these four categories correspond to the four areas I, H, S, B, of the basic graph (see below).

stupidficipolla

Versão brasileira.

CIPOLA2

É o que me fazem lembrar aqueles que para lixarem terceiros, no curto prazo, acabam por hipotecar o seu futuro. A menos que… o seu futuro não esteja onde parece. Ou não se trate propriamente de estupidez.

Preocupem-se em reformar ou “flexibilizar” o modelo de gestão. Ou em defender a “autonomia” das escolas perante a municipalização. Ou, se não for pedir muito, que revejam os vossos conceitos de “tolerância”, “inclusão” e “cidadania”.

 

Domingo

O camarada Arménio não quer ser medalhado individualmente pelo presidente Marcelo. O presidente Marcelo, lá da Índia, diz que tudo bem, que medalha a CGTP, até porque já se fartou de medalhar organizações. Acho bem que o establishment se recompense e aos serviços prestados em nome da estabilidade.

Entretanto, descobrimos uma camarada Camarinha que, mantendo-se a tradição, estará ali pela Avenida da Liberdade à primeira oportunidade ou no Terreiro do Paço em pleno palanque mesmo se, no que diz respeito aos professores que merecem a inveja de estar na carreira há umas décadas, nada de novo se ganhou, nem nos anos das lutas sanguinolentas de outrora, nem nos anos da colaboração com a geringonça, vai acima, vai abaixo.

As Medalhas do General2

E Dizem Que A Municipalização Não Interfere Com A Autonomia Das Escolas E Com A Gestão Pedagógica?

Veja-se o caso de Odivelas e do projecto “Repensar o ano letivo como forma de melhorar a aprendizagem dos alunos”. Deixo aqui todo o documento (Semestres_Odivelas_Relatório), porque até me cansa estar a copiar aquelas passagens típicas da escrita de um certo tempo de final do século XX, tão lido por ocasião das profissionalizações feitas nos anos 80 e 90.

Chamo apenas a atenção para o organograma implícito nesta apresentação:

Odivelas1Odivelas2

A Câmara (do PS), com a benção do governante (do PS) nomeia uma comissão (ver parte sublinhada) para proceder ao acompanhamento e avaliação de um projecto implementado a nível municipal, convidando para consultor um especialista e ex-governante (do PS).

Essa comissão, formada principalmente por elementos da Equipa de Acompanhamento da Autonomia e Flexibilidade Curricular da Região de Lisboa e Vale do Tejo (nomeada em modelo de dependência clara da tutela), acha por bem dar a sua opinião sobre o funcionamento dos órgãos internos de gestão das escolas, apontando-lhes forças e fraquezas, presentes e futuras naquele modelo muito apreciado da análise SWOT (prefiro a versão portuguesa-brasileira de análise FOFA, mas são gostos).

OdivelasPodem dizer-me que é apenas um olhar “externo” para “ajudar”, mas mim parece toda uma outra coisa. E tem muito pouco a ver com “autonomia” e ainda menos “diferenciação” pois promove metodologias e modelos únicos de intervenção.