Marcelo

Diverte-me, quando a outros irrita ou embaraça.

Não me incomoda nada que seja candidato a presidente da República, por muito que eu queira que seja Sampaio da Nóvoa o próximo presidente. Assim, temos certamente uma campanha animada. Como hoje, em conversa animada em Celorico, do lado de cá do palanque onde vai fazer o anúncio, à espera que se faça horas.

E é uma candidatura que desagrada a Passos, Portas e os seus aparelhistas, por muito que digam o contrário, pois prefeririam alguém controlável.

E já anunciou que suspende os comentários televisivos.

Marcelo

Pântano Presidencial

Sendo certo que ninguém é responsável pelos apoios alheios, não é menos certo que também nos definimos a partir de quem acha por bem apoiar-nos.

Maria de Belém vai acumulando alguns apoios que interessam no PS, numa selecção entre a ganga guterrista e a tralha socrática, para não falar nos seguristas sedentos de vingança (verdade se diga… o PS parece por estes dias Bagdad em época alta de milícias armadas). Lello, Assis, Coelho engrossam com o seu peso político as hostes daqueles apoiantes iniciais muito bem vistos no centrão dos negócios.

Não falta muito para ainda vermos uma frente de Galambas na sua comissão de honra.

SWAMPthing-700x533

Estranho

Políticos no activo a funcionar na televisão como comentadores diários ou semanais de si mesmos. Uma coisa é ser entrevistados ou prestar declarações sobre algum facto ou medida particular. Outra coisa serem avaliadores mediáticos de si mesmos, numa exercício de dupla personalidade e não se sabe se dupla remuneração.

Por exemplo, o que qualifica ou legitima um presidente de câmara como analista político? Ou chega alguém suspender a participação como articulista de um jornal durante as duas semanas de uma campanha eleitoral? O que faz um eurodeputado a comentar a política nacional em prime-time?

janus