Obama

Acabou presidente em grande parte devido a um erro de cálculo dos republicanos que tudo fizeram em 2008 para afastar Hillary Clinton – que achavam ser uma antagonista mais forte – da corrida à presidência americana. Devido às regras muito flexíveis das primárias americanas, há quem admita que muitos republicanos apareceram a votar Obama porque achavam que seria impossível a sua vitória perante o veterano John McCain e Sarah Palin, a favorita do folclórico Tea Party.

Consumada a vitória imprevista de um negro com nome árabe, a máquina de agit-prop dos republicanos mais radicais virou-se contra Obama, a quem diabolizou, acusando das mais descabeladas conspirações e intenções. Para além de que no Congresso lhe bloquearam a larga maioria das iniciativas legislativas, recorrendo sempre que necessário ao truque do filibustering.

Costa não é um Obama, nem pouco mais ou menos. Mas os adversários de qualquer tipo de solução governativa do PS com os partidos à sua esquerda são da mesma estirpe dos rubios, bachmanns, cantors, perrys ou cruzes e estão à rédea solta, embora lhes faltem uns largos milhões para aspirarem a tramps

Tea

Estabilidade

É não dar posse a um governo que tenha garantido o chumbo de um programa incompatível com o da maioria dos deputados da Assembleia, mesmo descontando os xuxas muito alaranjados.

Mas Belém é assim… e com laca só aumentaria a fixação.

Cavaco

90 Minutos

Quem decidiu estender a ideia de ter aulas de 90 minutos sem intervalo a todas as disciplinas do Ensino Básico deveria, num espírito de tolerância e boa vontade, ser empalado dez vezes com pau de marmeleiro ou ser largado à malta do ISIS com um letreiro a dizer “adorador do assis“, que é como quem diz em árabe, toucinho.

É que dá muito nas vistas que ou não é obrigado a praticar ou então é daqueles que falam muito na sala de professores e mandam fazer cópias do manual nas aulas e ninguém pode dar um pio.

Empalar

Esquerdismo

Quando até os mais conservadores o acham, há pouco a acrescentar na crítica a estes rapazinhos de gabinete que fizeram visitas de estudo pagas a Chicago, leram dois livros, conseguiram três assessorias e duas consultorias à conta dos amigos do Estado, por cá ou nas europas e arábias, e acham que sabem muito sobre a poda.

Dizem-se liberais, mas não passam de filhinhos d’algo, encostados à grande teta das relações intra e inter-familiares. A grande diferença em relação a outras gerações é que já dizem palavrões em público, acham que são rebeldes com causa e nem têm pudor em gozar na cara dos 99%. Na nossa cara.

Liberal

O Rio

Já se sabe que desistiu de tentar ser o que nunca deveria ter pensado ser. O problema é que há quem acredite em todos os elogios que recebe e seja surdo a todo e qualquer tipo de críticas.

Nem que seja em termos relativo, teria sido sensato não pensar que podria entrar como leão pela senda.

Rio