Presidenciais – 28

Marcelo Rebelo de Sousa ganhou as eleições à primeira volta e vai ser o Presidente da República previsivelmente por 10 anos. Algo que não me preocupa especialmente, como escrevi logo no início desta campanha. Em boa verdade, será um imenso ganho em relação à última década, algo que os outros dois candidatos mais votados também seriam. Ao contrário das leituras de facção destas coisas, não o considero um perigo e não me revejo em muitas das acusações que lhe foram feitas, no que foi um submundo feio desta campanha, embora nem sempre tenha revelado a serenidade e humor que dele esperava. Há vitórias e derrotas, há que saber ganhar e perder e nunca perder a noção dos limites do combate político entre pessoas de valor. Marcelo Rebelo de Sousa não era o meu candidato, mas isso não me impede de reconhecer que ganhou com uma campanha baseada pura e simplesmente na sua notoriedade pública. Tem defeitos mas, curiosamente, parte desses defeitos nascem do seu desejo imenso de que o “povo” goste dele tanto quanto muitos notáveis o detestam. Vai ser interessante, teremos melhores maneiras à mesa, a comer bolo, não teremos a Maria toda emproada em Belém, mas adivinho que as cagarras não ficarão tristes.

profmartelo (1)

 

Presidenciais – 27

Os derrotados são muito claros: Maria de Belém e a sua candidatura alimentada por nem se percebe quem, Edgar Silva e a candidatura automática, Paulo Morais e os limites de um candidatura unidimensional (Marinho Pinto parece ter percebido isso a tempo e  desapareceu do mapa), Henrique Neto e o seu ressabiamento permanente sem qualquer mensagem alternativa e Cândido Ferreira, o candidato mais instrumental de todos, barriga de aluguer para calúnias vergonhosas.  Quanto a Jorge Sequeira, nem percebo se ganhou ou perdeu.

thumb

Presidenciais – 25

Parece que Marcelo ganha à 1ª volta (só uma das projecções coloca o intervalo fora dos 50%). Excelente resultado, seja como for, de Sampaio da Nóvoa e de Marisa Matias. Maria de Belém reduzida à insignificância de onde nunca deveria ter saído.

Quanto aos comentadores… a fina flor da gravilha na generalidade dos canais.

Minion Sorridente

 

Presidenciais – 24

A abstenção. Uma piedosa ficção. Como é possível acreditar em mais de 9,7 milhões de eleitores com uma população residente em 2014 calculada em 10,4 milhões de pessoas, das quais mais de 1,3 milhões estão no Ensino Básico e na Educação Pré-Escolar e mais de 2 milhões têm até 19 anos?

Grafico