Os Números da Vergonha

Já sei, é apenas proposta. E também já sei que vão alegar que são despesas herdadas de compromissos anteriores. Só os compromissos com as escolas e pessoal docente e não docente da rede pública é que são para queimar.

Os apoios à rede privada sobem 6% num contexto de redução da despesa. Aguardo a posição da FNEprof sobre isto, se vão entrar em malabarismos semânticos como o PCP já parece ter começado a fazer.

Se isto ficar assim depois da discussão na especialidade, mais vale aos lutadores profissionais enfiarem-se num buraco bem fundo enquanto aguardam pelos 30 dinheiros (leia-se colocação em universidade ou organização internacional).

OEEDucProp16

Para quem não percebe estas coisas, entendam que os números da Ciência e do Superior estão em rubricas diferentes do OE e crescem em 2016. O lobby é bem diferente, estruturado e colocou as suas peças nas casas certas do tabuleiro.

OECienciaProp16

Anúncios

Já se Renderam?

Tão cedo?

Acabam-se os exames, atira-se foguetório para os parolos ficarem felizes, prometem-se mais umas migalhas, mas cede-se no essencial, ou seja, na distribuição dos dinheirinhos, aos interesses do mercado da Educação?

Eu fiquei muito satisfeito com o fim do pafismo governamental, mas tenho muitas reservas quanto à capacidade desta equipa ministerial da Educação enfrentar os lobbys puros e duros dos queirozes&muñozes (ou teremos de ver que colégios para perceber se é o triunfo de outros velhos conhecidos).

O orçamento do Básico e Secundário vai encolher 82 milhões de euros face ao ano passado, menos 1,4%.

Segundo a proposta do Orçamento do Estado para 2016, o ministro da Educação Tiago Brandão Rodrigues tem uma despesa de 5.843,3 milhões de euros em 2016. Menos 82 milhões de euros que no ano passado, sendo que o Estado terá um acréscimo de despesa em 16,7 milhões de euros.

O investimento no Ensino Particular e Cooperativo vai crescer e os apoios do Estado aos colégios vai aumentar 14,4 milhões de euros este ano, com uma despesa prevista de 254,3 milhões de euros. Em contrapartida, a dotação para o Pré-Escolar vai cair 1,2%, menos 5,6 milhões de euros. A quebra na dotação para o Pré-Escolar acontece num ano em que o Governo vai aumentar o número de crianças na rede do pré-escolar descendo a idade limite, dos cinco aos três anos, a partir da qual o Estado garante o acesso gratuito e universal.

Aguardemos pelas novidades – ou falta delas – em outras matérias como a municipalização e a gestão escolar, porque em matéria de carreiras, teremos reposições selectivas e congelamento perpétuo.

Ou isto muda bastante na discussão na especialidade ou mais vale o Bloco e o PCP encomendarem o alcatrão e as penas.

Alcatrao2

Já Agora…

… será pedir muito que antes do final de Fevereiro se saibam exactamente as datas das anunciadas provas de aferição? Não é nada comigo… este ano não sou professor nem encarregado de educação de ninguém nos anos visados mas… se querem que a coisa não seja um flop total, do tipo ano zero menos um seria capaz de dar jeito conhecer a informação-prova (ou a matriz) e a data da ocorrência de cada uma das ocorrências a ocorrer. A malta é básica mas gosta de saber estas coisas. Minudências.

Muit’agradecidos pela gentileza, acaso venham a fazer os obséquios acima mencionados.

Calendario

Já Ganhei a Vossa Atenção?

Há vários métodos devidamente testados. O de ensinar parte do pensamento, costumes e práticas da Idade Média “bárbara” com base nas torturas é apenas um deles. Ontem gostei especialmente de explicar a lógica da chamada prova da água imposta às suspeitas de feitiçaria, um verdadeiro catch 22 de tempos coevos. Se correr o bicho pega, se ficar o bicho come.

Teste Bruxa Afogando