Os Culpados?

Serão estes os responsáveis pelo aumento em 6% dos subsídios às ppp educativas, enquanto o orçamento da rede pública continua a reduzir-se? Fica aqui a lista provisória (Julho de 2015) e a definitiva (Agosto de 2015) dos colégios a que estava previsto dar dinheiro em regime de contrato de associação.

Resta verificar se não existiriam escolas públicas nas respectivas zonas com capacidade para integrar estes alunos. Em alguns casos, poderiam continuar a frequentar as aulas de hipismo em regime externo, penso eu de que.

Lista Provisória do Concurso de Estabelecimentos de Ensino Particular e Cooperativo

Lista Definitiva do Concurso de Estabelecimentos de Ensino Particular e Cooperativo

CAixaReg

Despedida em Beleza

Calhou bem a alguém estar absolvida a tempo da comédia, desculpem, comenda. E se dúvidas existissem acerca da protecção imensa de que sempre beneficiou MLR – que se soube muitas vezes colocar como a coitadinha que nunca foi – reparem como ela é recuperada, juntamente com o muito efémero Campos e Cunha, já chegando um punhado de meses como ministro para se ser medalhado, para a ronda final dos cromos da República Cavaquista.

E eu nem sabia disto quando escrevi a conclusão do livrinho que está quase aí.

O Presidente da República vai condecorar sexta-feira nove antigos governantes, entre os quais os antigos ministros das Finanças Vítor Gaspar e Luís Campos e Cunha e os ex-ministros da Educação Nuno Crato e Maria de Lurdes Rodrigues.

Segundo fonte oficial de Belém, na cerimónia serão ainda agraciados o ex-ministro da Economia Álvaro Santos Pereira, o antigo titular das pastas das Finanças e da Segurança Social António Bagão Felix, o antigo ministro da Saúde Paulo Macedo e ex-ministro da Administração Interna Rui Pereira.

Os oito antigos ministros serão condecorados sexta-feira com a Grã-Cruz da Ordem do Infante D. Henrique.

O antigo ministro da Economia António Pires de Lima será igualmente agraciado com a Grã-Cruz da Ordem do Infante D. Henrique, mas receberá as insígnias posteriormente, por se encontrar ausente no estrangeiro na sexta-feira.

QuinoMedalhas

Ó Professor, É Mesmo Verdade…

… que nos querem fazer ficar na escola até às 7 da tarde?

(e ouve-se em fundo alguém dizer “sete e meia!”)

– Calma, não vos inquieteis, que isto já não vos apanha se é que é para levar a sério… e será só para quem quiser e parece que para quem pagar.

– Mas então ninguém quer, a malta já está farta e ainda são quatro e meia…

– Que belo pensamento, tomara eu poder gravar esta conversa [e toda a que se passou com uma turma de 6º pela manhã, depois com uma de 7º ao início da tarde e com esta que é do 9º ano pela hora cima referida] e mostrá-la aos especialistas e ao senhor ministro. Porque eloes dizem que é só para o vosso bem.

(ouve-se um “Dasse” abafado que a bem do bom convívio eu atribuí ao Bocage que ia a passar)

ed-bang-head-o

The Ghost in the Machine

Ou outra metáfora qualquer para que se perceba quem é a Grande Mentora. A verdadeira Dona Disto Tudo. Cada vez mais isto me parece Alçada – Parte II. Tudo isto pode ser feito sem escolas a tempo inteiro. Basta que existam bibliotecas abertas sem ser nos intervalos e instalações desportivas em condições nas escolas.

Foi a responsável pela implementação da escola a tempo inteiro no 1.º ciclo. Concorda com o seu alargamento a todo o básico?

Sim, é importante este alargamento, porque para muitos jovens e crianças o espaço da escola é o mais importante da sua socialização. É onde têm acesso a recursos que muitas vezes não têm noutras infraestruturas dos locais onde vivem e nem em casa, como, por exemplo, acesso aos livros da biblioteca. Além disso, existe aqui uma dimensão de apoio à família que é muito importante porque a maior parte das mulheres trabalha e não pode acompanhar os filhos tanto tempo como gostariam. E gostariam de saber que os filhos estão bem entregues.

MINISTRAAA (1)

Tautologias

Parece que existe por aí um novo estudo da OCDE.

Costuma ser dia de festa para quem o encomenda e que, de forma rápida, promete cumprir as recomendações que resultam das premissas da encomenda. Pode não ser assim, mas só quando a conjugação astral é muito má. E a assinatura do estudo é quase sempre a mesma. A menos que o especialista de serviço, meu homónimo, nos mandatos do PS esteja de folga.

Se  bem percebo, pela enésima vez, este estudo conclui que uma enorme parcela dos alunos com insucesso escolar são de meios socio-económicos desfavorecidos. Constatação inédita.

Ergo...

Devemos deixar de chumbar (reparem como este termo voltou a estar em força em voga) os alunos porque estamos a ser socio-economicamente injustos e a penalizar aqueles que são mais vulneráveis.

Parece-me uma lógica infalível, tipo-OCDE.

Se os alunos de nível socio-económico baixo chumbam, devemos deixar de os chumbar.

Vou, de forma humilde, propor uma outra lógica, mais fraquinha.

Se os alunos de famílias com um estatuto socio-económico mais baixo apresentam um maior insucesso escolar, que tal se procurarmos elevar esse estatuto e verificar se as coisas melhoram?

Porque, assim visto daqui, parece-me que o insucesso escolar tem factores explicativos, devendo nós agir sobre eles. Certo?

(errado… há quem me diga que com falta de dinheiro não dá para fazer nada e os pobrezinhos têm de ficar pobrezinhos na mesma, dá trabalho lutar contra as desigualdades)

A lógica da OCDE é parecida à do médico que perante uma doença provocada por ausência de água potável, em vez de tentar assegurar que essa mesma água fique em condições de consumo, decide determinar que não se deve diagnosticar as causas dessa situação, deixando de considerar doentes aqueles que doentes estão.

Magoo

Aqueles Momentos

Em que desço a rampa, me tento abstrair do mau urbanismo e da arquitectura do custo mínimo e me concentro no céu que vai desaparecendo, nas árvores e vegetação que (felizmente) vai sobrevivendo, antes do regresso ao desnorte humano do quotidiano do mais com menos ou mais do mesmo, à espera que algo ainda tenha tempo de mudar. Para melhor.

Foto0172