Indeterminismos

O estudo referido em post anterior sobre a relação entre alguns factores de contexto socio-económico e o desempenho dos alunos do 3º ciclo do Ensino Básico (considerando como sucesso um percurso sem retenções e nota positiva nas provas finais de 9º ano) tem, como já escrevi algumas constatações que, globalmente, correspondem às nossas percepções comuns. Seguem-se alguns quadros nesse sentido:

Este slideshow necessita de JavaScript.

Só que o que são percepções globais que até coincidem com evidências locais (a combinação de mais ASE com menos habilitações das mães tenderá a corresponder a menor sucesso escolar dos alunos) podem ter paradoxos ao nível distrital.

Vejamos o caso de Setúbal: é dos distritos em que as mães têm, em média, habilitações mais elevadas e em que há menor peso de alunos com apoios da ASE mas, estranhamente ou não, existe o segundo nível mais baixo de sucesso, também em média. Ou seja, sempre de acordo com as médias, é um distrito com bom nível cultural e económico das famílias, mas péssimo desempenho escolar. O que contraria as teses gerais.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Só não digo que sejam bem vindos ao meu quotidiano, porque o contexto local em que lecciono é muito mais próximo das teorias de Bourdieu que agora andam a ser recuperadas a toda a força.

2 thoughts on “Indeterminismos

  1. Claro, essa relação não deve ser vista nem interpretada de forma causalista rígida. Deve ser um indicador importante para a reflexão e para a acção política (mais um ponto de partida do que de chegada).

    Gostar

  2. Setúbal tem muitas assimetrias: em 5Km tu varias de um ambiente rico/calmo para um ambiente degradado/agressivo; há muitos EE que despejam os alunos no armazém e nem sequer cadernetas usam; há uma desvalorização muito acentuada da figura do professor. É uma zona de filhos licenciados de pais operários, é uma zona de desenraizados. Há muita falta de valores e falta de orientação e apoio seja para adultos seja para crianças. As pessoas vivem desamparadas de estruturas sociais. As aldeias transformam-se em vilas e estas em cidades, os alunos continuam a aumentar nas turmas, o desemprego aumentou… é uma zona muito complexa. Até a criminalidade tem estado a crescer…já tenho medo de ir à baixa de Setúbal durante o dia e a prostituição infantil á noite já existia no meu tempo. De cada vez que lá vou no Verão, há sempre novo cogumelo. Diria que a área ainda não estabilizou em termos de população e menos ainda em termos de infraestruturas…
    Por aqui é o inverso…a minha escola vai acabar por fechar por falta de alunos, os apoios que há fecham por falta de clientes!

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.