Gostar da Escola (Ou Não) – 3

Ignoremos a tabloidização dos títulos do JN e concentremo-nos no que mais interessa: a evidência empírica do aumento das baixas médicas por parte dos professores e o seu não tratamento estatístico pelo ME, apesar de ter os dados todos disponíveis. Parecendo que não, tudo isto está estreitamente relacionado com os efeitos perversos do ideal low cost para a Educação, o mais com menos que conduz a situações de burnout e de profunda desafeição pelo espaço escolar de um corpo docente sucessivamente martirizado por medidas destinadas a poupar com miopia. Medidas tomadas por gente que não percebe que aumentando peso no lombo das pilecas as faz andar mais devagar e, a curto ou médio prazo, cair para o lado e implicar a sua substituição. Não se choquem com a auto-caracterização que faço como pileca ajoujada por um “patrão” mais preocupado em poupar tostões no imediato do que perceber que está apenas a produzir despesa desnecessária a médio prazo. Porque cada professor que vai para casa, mesmo não lhe pagando, ou reduzindo-lhe a remuneração, quando mais precisa de enfrentar despesas adicionais, implica a sua substituição por um professor contratado que aumenta a despesa. O mais com menos deu nisto. Assim como os entraves a uma saída digna da profissão a muita gente que se queria aposentar ou rescindir contrato. Bullying profissional é o que eu chamaria ao que se tem passado nos últimos dez anos e parece estar para durar. As faltas dos professores, contadas por atacado, sem qualquer explicação ou caracterização, ainda acabarão por aparecer – quiçá à moda de um Valter Lemos – para procurar denegrir publicamente a imagem dos professores, assim que se ache oportuno. Tenha o ME a coragem de fazer a dita contabilidade e tratar esses dados, analisando as diversas razões. Tem meios para o fazer. Lembrando sempre que esta mentalidade de tio patinhas, leva ao aumento de despesa pública a par da quebra do rendimento dos professores que faltam e ficam sem receber.

JN16MAr16

Jornal de Notícias, 16 de Março de 2016

2 thoughts on “Gostar da Escola (Ou Não) – 3

  1. Tanta gente na minha escola que está de baixa devido ao burnout ! E normalmente são aqueles colegas que sempre se preocuparam muito com os alunos,que sempre se empenharam imenso na sua profissão. É verdade que estes horários sobrecarregados com horas de apoio ,com direções de turma ,com reuniões que duram três horas ao fim do dia,com relatórios ,grelhas e mais relatórios….Enfim ,quem tem cerca de 50 anos não aguenta .

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.