Novo Dicionário Educacional – Letra R

Reforma

(1) – Algo que todo o novo titular da pasta  da Educação considera ser essencial fazer para corrigir os erros enormes (embora não avaliados) do seu antecessor, em especial se era de outra cor política, sendo que só têm existido duas, rosa e laranja, ao longo de bastas décadas. Há, contudo, algumas nuances, no conceito e na retórica reformista de cada ministro, conforme adopte um discurso assumidamente de ruptura com o passado recente ou prefira uma retórica mais baseada na promessa de estabilidade (muito importante ler este verbete na letra E), mesmo se na prática se notam poucas diferenças. No primeiro caso, opta-se por alguma fanfarra em torno de reformas que raramente tocam nos aspectos essenciais do sector mas que têm forte impacto mediático (é o caso da avaliação, seja de professores, seja dos alunos); no segundo, alteram-se aspectos importantes da vida do sector mas sempre com a garantia de que é tudo feito para tornar mais estável esse mesmo sector. Há ainda algumas subvariantes da pulsão reformista: os casos em que se misturam aquelas duas formas de discurso e de prática (ruptura para a estabilidade) e há ainda os que nada fazem, mas garantindo que o estão a fazer, desde que exista produção legislativa em abundância no diário da nossa república, com despachos explicativos, regulamentares ou outros, circulares em catadupa e portarias a condizer. Ou seja, uma enorme confusão. Quanto à preparação, há as reformas que se anunciam com um enorme trabalho prévio, mas que acabam em pouca coisa e os documentos preparatórios na gaveta e as que se legislam, encomendando-se os estudos para as justificarem a posteriori. Quanto à sua natureza, todas as reformas são muito boas, visando a melhoria do sistema educativo, o sucesso dos alunos e poupanças para os contribuintes, só falhando porque os professores não as compreenderam, não as souberam ou quiseram aplicar, por apatia ou má vontade.

(2) – Privilégio (verbete na letra P) que, tal como carreira (com verbete na letra correspondente) os professores já tiveram, ainda com algum tempo de vida útil, num passado mítico, pré-idade do gelo, sem sobretaxas e cortes por antecipação, sobreposição ou má disposição.

Diario

2 thoughts on “Novo Dicionário Educacional – Letra R

  1. Pensei que reforma se referia a arrumar as botas. Eu gostava de me ir embora. Já não há jovens sonhadores, destemidos, que arrisquem, que inventem e renovem o sangue nas escolas. Os jovens professores estão conformados, humilhados, calados, obedientes. Sim, houve uma reforma. Mas foi nas mentalidades.

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.