Agora sou Racista!

Cada vez adoro mais estudos que acham aquilo que queriam provar logo à partida, porque o “mercado académico dos estudos” exige que os investigadores se especializem num dado nicho e o explorem em todas as facetas. Exagero? Generalizo? Nada disso, antes assim fosse. Tomara saber menos do que sei sobre a produção da ciência social entre nós. Garanto que vou ler o estudo para percber se o título da peça é uma generalização abusiva ou se o cientista social Pedro Abrantes e a sua colega Cristina Roldão (que desconheço em concreto) só disserem a palermice ou se a escreveram com chancela científica. Diz ele que “A cor da pele conta para os resultados dos alunos”, deduzindo-se que obtém essa relação através da análise entre o desempenho dos alunos e o seu grupo étnico. A tese parece evidente na sua simplicidade matemática. Ou seja, tomando à letra, os alunos serão discriminados nas nossas escolas devido à cor da pele. É o que está escrito.

Repito que irei ler o estudo antes de disparar em força sobre os investigadores em causa, porque quero ver se eles não analisaram outras variáveis relacionadas com – assim de cabeça – o nível socio-económico da família destes alunos, a sua composição e nível de desestruturação, a escolaridade anterior dos pais e tudo aquilo que faz com que estes alunos cheguem à escola numa situação de enorme desigualdade que nas escolas se tenta equilibrar até aos limites do possível. Espero que os investigadores estejam informados sobre os estudos que fazem o cálculo da probabilidade de (in)sucesso de determinados grupos de alunos com base no seu contexto familiar, social e económico para perceber se estes alunos, no seu conjunto e apesar do seu nível de insucesso, não conseguirão até atingir melhores resultados do que os esperados.

A sério que vou ler e só depois generalizar sobre os estudos tipo-isczé sobre as desigualdades socio-educacionais em Portugal.  Porque não quero fazer acusações generalistas como as de racismo que me são dirigidas enquanto professor por um par de criaturas que não sei se sabem mais do que de relações estatísticas e observações de aulas, mesmo se um é “autor de 5 livros e 27 artigos em revistas científicas com referee, 13 deles no estrangeiro” e tenha colaborado “com a Fundação Aga Khan, no programa K’Cidade, e com o Ministério da Educação, nos programas Novas Oportunidades e Avaliação Externa de Escolas”. Ter sido avaliador externo das escolas públicas entre 2006 e 2009 faz-me logo soar campainhas de alarme, mas podem ser injustificadas as minhas reservas, porque a sua tese de doutoramento até tem partes interessantes, com alguns pré-conceitos bem escondidos numa escrita típica de uma sociologia da educação dos anos 60-70 do século XX.

Quero acreditar que as “boas intenções” não sejam daquelas que esgotam a lotação do inferno. Até porque acabei de dar uma aula a uma turma com 28 alunos (com 27 presentes), dos quais apenas 12 são caucasianos (entre os quais um ucraniano) e preciso saber com urgência se sou um cripto-racista, um colaboracionista com o “racismo institucional” das escolas portuguesas. É verdade que o nível de sucesso é (neste caso) exactamente o mesmo entre os vários pigmentos em presença, mas talvez seja apenas porque eu sei esconder muito bem os meus mecanismos discriminatórios. Acredito que um investigador atento descubra que eu dou “positiva” aos alunos azuis menos claros apenas porque sou um xenófobo com os instintos controlados. Devo ter um qualquer tique que me denuncie. Por exemplo, a irritação que sinto perante simplismos. Deve dar para umas tabelas em excel e umas regressões e variâncias.

bullshit-detector

8 thoughts on “Agora sou Racista!

  1. estejam.
    ()…isto tinha um significado especial há anos atrás. As pessoas desaparecem e o significado perde-se. Restam os lapsos tecleae

  2. Estes cientistas da treta que nunca inventam ou criam coisa alguma para além de inutilidades e banalidades…
    … os cientistas a sério, observam, formulam hipóteses, criam grupos de controle, testam resultados… coisa de muito tempo e muito trabalho… depois há aqueles tais cientistas (fica fino chamar-lhes isso) que fazem uns “estudozinhos” com base nuns questionáriozitos com questões formuladas para as conclusões que se pretendem, que aplicam numas quantas escolitas, entrevistam (até podem ser amigos ou amigos de amigos) alguns professores, talvez até observem uma ou outra aulita, arranjam uns quaiquer indicadorzécos estatísticos, fazem tabelazinhas e gráficos em excel e… pum, já está, são uns verdadeiros especialistas! As conclusões são sempre bombásticas (há que se fazerem notar) e similares àquele outro cientista (similar ao género) que corta as pernas à rã e conclui que esta não salta por ter ficado surda.

    Ironias à parte, considero de uma PROFUNDA GRAVIDADE o que se diz. Confesso que não li o estudo, nem lerei pois não tenho paciência para vacuidades e conversa da treta mas aquilo que estes senhores parecem concluir, configura a PRÁTICA INSTITUCIONALIZADA de um CRIME – a Constituição e a legislação proíbem-no expressamente e, certamente (?), já terão denunciado à inspecção e ministério público as situações que lhes permitiram concluir sobre tais práticas para que se possa e deva proceder legalmente.
    Quer as associações de professores/ de escolas/ de directores/ de pais/ de …, quer os sindicatos, quer o ministério deveriam manifestar-se sobre o assunto e exigir explicações – o assunto é grave!

    Já chega de gentes simplórias e ignorantes.
    Já chega de estudozecos que apenas servem para desvalorizar e denegrir instituições e profissionais! Isto é mesmo um país de treta e de tanga, em que singram a ignorância, a estupidez e a má fé !

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.