Contaminação

O debate político e público acerca de alguns assuntos tornou-se perfeitamente insuportável e impossível de desenvolver de uma forma razoável, racional e rigorosa, restando quase só ruído e ideologia jogada às pedradas, com a (falsa) cobertura de alguns números truncados e de factos relatadospela rama. Este texto é um exemplo disso, pois apresenta como sendo dados adquiridos e verdadeiros o que não passa de uma espécie de receita para o alarido. Não é verdade que esteja em causa a continuidade dos contratos em vigor entre o Estado e as empresas privadas a operar no mercado da Educação e é profundamente falso que tenha existido no mandato anterior um corte de 30% no financiamento do sector (basta consultar os orçamentos do ME sem ser com um olho fechado). Esses são números seleccionados a gosto e que apagam parte da realidade numa estratégia conhecida de repetição de falsidades para que elas ganhem o cunho de verdades. Repare-se na evolução dos cortes nas redes pública e privada de 2014 para 2015, seguindo-se a execução real no caso dos apoios a privados e a previsão para 2016

OME2015OEEDucProp16Mas, como já escrevi em texto também para publicação, eu entendo que estas escolas privadas se sintam algo maltratadas por terem de suportar um pouco daquilo que as escolas públicas sofrem todos os anos, com decisões sobre as turmas autorizadas a ser tomadas com o próprio ano lectivo em decurso, como foi regra com cursos profissionais e vocacionais ainda neste ano de 2015-16. Entendo que as empresas que contratualizaram PPP na área da Educação na expectativa de lucros interessantes (também eu tinha expectativas numa “carreira docente” e veja-se no que deu) não estejam para ser submetidas a essa tal “instabilidade” com que as escolas públicas vivem todos os anos, regras a mudar, contratos rasgados a meio do percurso, direitos que são tratados como tábua rasa. Não deixa, por outro lado, de ser curioso que quem apoiou um governo que nem sequer a caducidade dos contratos dos professores queria pagar, agora eleve a voz contra o anúncio da necessidade de avaliar cada renovação de contratos trienais. A verdade é que houve quem prosperasse à custa da miséria alheia e agora desgoste de provar uma pequena colher do remédio que obrigou outros a engolir em nome de princípios – não duplicação da despesa, racionalização dos custos, disciplina orçamental – a que se adere conforme as circunstâncias.

Se isto é ideológico? E capaz de ser, pois baseia-se em ideias sobre o que deve ser a equidade e a justiça social a sério, até porque me repugna um bocado aquela coisa de dizer que tudo é decidido de forma objectiva com base nas colunas de deve/haver que andam a aplicar às escolas públicas desde o início do período em que a Educação passou a ser calculada com o lápis atrás da orelha.

janus

4 thoughts on “Contaminação

  1. É uma maldade dar aos alunos a ilusão de ter um produto de primeira e depois retirar-lhes o doce e devolve-los à realidade.
    Na verdade estão a viver acima das suas possibilidades. Com o dinheiro de todos, podem. Com o próprio, não. Os ricos estão sempre safos!

    mas,
    a realidade é mesmo má? eu quando era jovem transitei do privado para o público (em sobreposição) porque o público era francamente melhor.

    1. A educação é um “produto”?

      A educação nos colégios-privados-com-o-dinheiro-dos-contribuintes-a-servir-para-os-carrões-dos-directores é um “doce” para os alunos? Porquê? Porque não têm lidar com filhos de desempregados e outros preguiçosos?

      “Os ricos estão sempre safos!” E os pobres? E os senhores dos colégios, não são ricos-safos?

      E que raio interessa o seu caso pessoal e as suas historietas? Custa-lhe tanto falar de qualquer assunto de modo argumentativo e fazendo uma análise geral?

      O “Correia da Manhã” também tem caixa de comentários.

  2. Boas ideias, gosto do mito da liberdade de escolha, o Marçal Grilo ontem na TVI também veio com esta cantiga, quando nos últimos anos se reduziu a diversidade dentro da rede pública ao mínimo.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.