Jogo de Espelhos

A agitação corporativa em trono das escolas privadas com contrato de associação continua. São as vaias que, feitas por outros, seriam próprias de arruaceiros. É a preocupação com a angústia de uns quando se estiveram sempre nas tintas para de muitos outros. É até a hiperbolização dos efeitos numa linguagem dramática. Até uma muito divertida acusação de traição sindical, de que escapa uma FNE que se tem especializado em voar baixinho por estes dias.

Mas há mais, muito mais. Sendo que a mobilização tem ido buscar algumas menoridades locais e diversas personalidades infelizmente nacionais, na área do do PSD (aquele indescritível Duarte Marques, o Montenegro, mais uns quantos que aparecem a justificar apoios e dívidas políticas) e do CDS (aqueles jovens sóiferes e o Almeida, maus, tão mauzinhos que até custa ouvi-los, não por deles discordarmos, mas pela indigência do que dizem e escrevem), tudo com muita cobertura pelos articulistas séniores do Observador e pela  artilharia ligeira da blogosfera de Direita que achou muito bem encerrar escolas públicas por significarem despesa desnecessária ou despedir professores (alegando que eram apenas contratados, no que me faz lembrar uma canção dos GNR que termina com mortos em lagos, mas que eram apenas gente no desemprego). Para as televisões, um Rodrigo Queiroz e Mello a desempenhar o seu papel de porta-voz da micro-corporação subsidiodependente, finalmente a merecer o que lhe pagam, com especialistas na rectaguarda a fornecer os dados e o argumentário truncado para a discussão.

Basta ver a enorme confusão que por aí vai com o custo relativo das turmas no ensino público e privado. Tudo depende dos valores que colocamos ou retiramos do cálculo, da estrutura do corpo docente, dos horários por prencher, da incidência de alunos com necessidades educativas especiais, das características dos edifícios, etc, etc. Já aqui publiquei que, se recebesse 80.500 euros por turma, o orçamento da minha escola seria superior em centenas de milhares de euros do que é. É errado agarrar em valores globais do orçamento, que incluem a estrutura administrativa do ME que serve públicos e privados, e dividir pelo número de alunos. Ou fabricar valores para o custo salarial dos professores, alegando regras contabilísticas. Tudo se tornou um simulacro estatístico da realidade, uma construção ocasional, com estudos feitos de forma mais ou menos manhosa, conforme quem encomenda e para que fim.

E agora pergunto eu: vale a pena debater mais este assunto com seriedade, quando do outro lado se aposta na histeria, na manipulação da miudagem, na diabolização das escolas públicas como destinos indesejáveis para gente que se acha acima do vulgo, como se fossem incapazes de – se lhes forem dadas as mesmas condições – prestar um serviço tão bom ou melhor? A mim já não apetece muito entrar em tais polémicas, quanto muito apontar o dedo às incoerências e desonestidades mais evidentes de gente que se destaca pela hipocrisia, cinismo e por uma falta de princípios só comparável ao excesso de interesses. Que também se encontra do lado de cá desta disputa, porque há gente do PS que agora bate no peito em defesa da Escola Pública quando fez beija-mão ao engenheiro e a MLR durante os anos em que a festa da Parque Escolar para amigos, projectistas e empreiteiros se fez à conta dos professores, para que tivessemos uma rede pública a duas ou três velocidades. A mim não dá especial gozo ver intelectuaisvitais e daniéisoliveiras a defender, de forma ocasional, uma posição que partilho. Porque tenho memória e sei do que são capazes só para agradar aos senhores do momento.

(e já alguém se questionou acerca de certas posições de autarcas do PS ou do próprio Galamba mais velho?)

Infelizmente, há poucos inocentes em toda esta estória. E são tão mais culpados quanto têm a falta de vergonha de se esconder atrás do interesse dos alunos.

espelho2

5 thoughts on “Jogo de Espelhos

  1. Relativamente aos grandes interesses o consenso do centrão exist. É, mais ou menos visível, caso do GPS, por exemplo. Entrámos em modo vale tudo com um despudor que assusta. Porra, estamos no universo da EDUCAÇÃO

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.