A Escola Burrocrática – 4

A acta. A ata. A iata.

O alfa e ómega da escola burrocrática e da lógica asinina do eduquês palavroso que substitui tudo o que existe pelas palavras a fingir que o céu se fez na terra ou que o inferno se justifica.

Felizmente, há escolas que já abandonaram algumas práticas e passaram realmente a um patamar menos notarial de registar tudo e mais alguma coisa, não percebo se por retenção anal diferida, se por medo que aconteça qualquer coisa, surja o temido “recurso” e seja necessário ter tudo registado para posterior consulta e justificação.

Mas…

… o documento que se continua a transcrever é o de uma escola portuguesa, pública, submetida à lógica do papel, muito papel. Não sei se é assim nas privadas, consta-me que não. Talvez por aqui existam diferenças, explicações, coisas a mudar. Autonomia, quiçá, mas não de uma só pessoa.

Burrocraccia5 Burrocracia6 Burrocracia7 Burrocracia8

6 thoughts on “A Escola Burrocrática – 4

  1. Isto é a burrice exponenciada à imbecilidade.
    Infelizmente, este modelo começa a alastrar, não percebendo alguns digníssimos diretores e alguns excelentes mentores e excelentes mentoras deste culto do papel, que é absurdo escrever numa ata o que já está registado num outro documento que faça parte do processo do aluno, seja no setor administrativo seja no dossiê de direção de turma.

    Gostar

  2. A mentalidade burrocrática, não apenas crê que os “papéis” transformam a realidade, como também que podem acabar por substituir-se a esta. Ah, como a “realidade” que vem nos “papéis” é bem mais pacífica e moldável que a verdadeira…
    É nesta ilusão – dramática para o país – que repousa o aparelho do ME e os seus seguidores por essas escolas fora.

    Gostar

  3. Deverão ser as instruções para uma acta de reunião de avaliação…

    Artigo 34.º do CPA
    Ata da reunião
    1 – De cada reunião é lavrada ata, que contém um resumo de tudo o que nela tenha ocorrido e seja relevante para o conhecimento e a apreciação da legalidade das deliberações tomadas, designadamente a data e o local da reunião, a ordem do dia, os membros presentes, os assuntos apreciados, as deliberações tomadas, a forma e o resultado das respetivas votações e as decisões do presidente.
    2 – As atas são lavradas pelo secretário e submetidas à aprovação dos membros no final da respetiva reunião ou no início da reunião seguinte, sendo assinadas, após a aprovação, pelo presidente e pelo secretário.
    3 – Não participam na aprovação da ata os membros que não tenham estado presentes na reunião a que ela respeita.
    4 – Nos casos em que o órgão assim o delibere, a ata é aprovada, logo na reunião a que diga respeito, em minuta sintética, devendo ser depois transcrita com maior concretização e novamente submetida a aprovação.
    … … …

    Desde logo, e sem mais que não há paciência, … ninguém sai da reunião antes da acta feita, lida e assinada! – No mínimo, seria de gritos!!! Gritos por todo o lado:de dentro, de fora, de cima, de baixo…
    (e, o desgraçado do DT não tem que andar uma semana antes a deitar-se às 3 da manhã para conseguir levar a bosta feita…)

    Gostar

  4. E é que depois o rigor burrocrático é completamente desmascarado pela realidade…Se o documento for deste ano letivo, cita um despacho normativo mais do que ultrapassado…pelo 17A/2015 e até por um profético (porque com efeitos apenas para o futuro….) 1F/2016….

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.