1986

Era ano de presidenciais. Freitas do Amaral congregava a Direita e assustava toda a Esquerda, dividida entre Soares, Zenha e Pintasilgo. Eu era aluno do 3º ano de História na Nova e tinha como professora de História Económica e Social, Maria de Fátima Bonifácio de crachá ZAP ao peito, verbo tão feroz quanto ortodoxo. Soares era o alvo principal dos apoiantes de Zenha e na segunda volta dos de Freitas do Amaral. Quando agora vejo este último praticamente encostado ao PS nas suas posições e MFBonifácio a escrever textos para lá de liberais a ser partilhados de forma entusiasmada pelos que outrora votaram Freitas, sinto como que uma imensa vertigem, como se o mundo tivesse mudado muito. E mudou, mas não tanto. E interrogo-me sobre até que idade as pessoas são adolescentes no seu pensamento a ponto de assim se justificarem quando dão as piruetas que dão. Todos temos direito a mudar de crenças e fés, mas deveria existir um nível mínimo de… sei lá… consistência?

spin

3 thoughts on “1986

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.