Que Média?

Quando se conclui que os professores ganham mais do que a média comparativamente com outros países, sem se colocarem os dados do estudo online enquanto despejam o spin para a comunicação social, fala-se exactamente do quê?

Dos salários brutos ou líquidos? Será que 1500 euros brutos cá e em outros países têm a mesma carga fiscal? Olhem que não, olhem que não… espreitem o quadro lá mais abaixo, à falta de outro melhor por agora.

Dos salários nominais ou reais? Porque há anos que olho para o salário que deveria ter e, estranhamente, não bate certo com o que aparece realmente no recibo para se fazerem as contas. Mas deve ser a minha proverbial pitosguice, que me impede de ver além…

De uma carreira como está na lei ou como existe na realidade? Porque ninguém se encontra o último escalão (mas dá jeito para comprar com os outros países onde se ganha “menos”, assim como para estabelecer rácios da treta) e em que com 15 anos de carreira se estaria formalmente no 4º escalão, mas na realidade se está no 2º? Há gente com mais de 20 anos de serviço que está no 1º escalão? Querem exemplos concretos? Com recibos e tudo? Arranja-se, se algum especialista se quiser atirar do aQeduto do CNE para a realidade.

E é por isso que, não sabendo eu como estes estudos são feitos, com base em que dados exactamente, me parece que isto é tudo uma enorme anedota.

Afinal do que falamos quando falamos em “carreira docente”? De um mito que existe no ordenamento jurídico formal ou na vergonha em que foi transformada?

Só para termos uma pequena ideia do peso da fiscalidade nos salários (globalmente e não só no sector público, o mais atingido por cortes e reduções), vejamos o seguinte quadro relativo ao que o Estado recolhe em impostos e taxas dos rendimentos do trabalho. Já agora… reparem lá como Portugal é o país onde mais cresceu o peso do fisco nos salários entre 2014 e 2015. A Itália foi a que ficou mais perto de nós nesse acréscimo anual. Os dados são de 2015 e da sacrossanta OCDE. Aproveitei para destacar a diferença entre Portugal e a Polónia, para que se perceba que fazer comparações com salários brutos é uma enorme falácia.

impostos-salarios

 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.