Sequência

Primeiro foram as metas de sucesso de Isabel Alçada, com a criação nas escolas de metas de sucesso para 2020.

Depois, vieram os contratos de autonomia dos tempos de Crato, com novas metas operacionais de sucesso devido à introdução das provas finais de 4º e 6º ano e os discursos do SE Casanova a qualificar como pioneiros os signatários.

A seguir, acabaram-se as provas, recalendarizaram-se provas de aferição em rotação pelas várias disciplinas, com cronograma para vários anos, veio o Programa Nacional de Promoção do Sucesso Escolar do ministro Tiago B. Rodrigues e do seu homem de sucesso J. Verdasca, que levaram à produção de centenas de Planos de Acção Estratégica e milhares de Planos de Melhoria por disciplina e departamento, com novas metas, pois as dos contratos de autonomia ficaram parcialmente obsoletas.

Agora… enfim… agora querem que se refaça, mais uma vez, o trabalho de planificação e gestão curricular a partir do 1º, 5º e 7º anos.

Reparem que tudo isto se passou já nesta década…a segunda do século XXI.

Se não é gozar com o pagode, é então o quê?

Clown

Advertisements

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s