A Força da Pós-Verdade

Ainda bem que há estudos que conseguem provar o que eu constatei ao tentar dialogar de forma razoável e usando factos com gente emérita, inteligente e cheia de opiniões, até chegar à conclusão da razoável inutilidade do esforço em variadíssimos casos.

WHY FACTS DON’T CHANGE OUR MINDS

New discoveries about the human mind show the limitations of reason.

Claro que também posso ver isto ao espelho, mas, pelo menos, eu ainda mudo de opinião em diversas situações como, por exemplo, a tal ideia de que vale a pena tentar mudar opiniões alheias incrustadas com a cola dos interesses e dos ressentimentos. Ou quando passei a achar mais recentemente que, já agora, mais vale mesmo repensarmos os conceitos de avaliação “positiva” ou “negativa” em vez de andarmos a fazer cosmética.

Mind

A Quadra Pascal…

… deveria prestar-se – na humilíssima opinião de um agnóstico – a doses moderadas de hipocrisia, mesmo nas “redes sociais”. Não falo, sequer, nas “laikices” por tudo e nada e nos votos que se distribuem como se fossem doces americanos no halóine para vez a petizada pelas costas.

Neste caso, falo de algumas pessoas que, por ocasião de novo concurso de professores, voltam a defender as excelsas virtudes da sua fragmentação e “descentralização” em concursos locais. Não soubesse eu que uma ou outra dessas pessoas fazem parte de equipas de consultoria ou apoio a certas autarquias para “projectar” a transferência de competências na área da Educação e pensaria que eram mesmo coisas assim a modos que espontâneas…

Olé

Dizem que é a Autonomia

E é só esperar por ter de ver aprovadas verbas nos gabinetes autárquicos…

Assalto às escolas

O IGeFE tem vindo a comportar-se de forma hostil com as escolas, aproveitando todas as oportunidades para lhes subtrair competências e torná-las cada vez mais dependentes das suas orientações e prescrições.

eu-sou-o-burro

Para Alguma Coisa Servirá Sermos Pobrezinhos

Sem a AC escapava-me esta delícia.

ISATT2017

LOW GDP COUNTRIES

Please note that the crucial factor for the reduced Low-GDP fee is not the country of origin but the country of residence.

As grounds for this list the World bank data for 2015 GDP per capita was used. The threshold for low-GDP country status is an annual per capita income of less than $ 26,000 US.

The only countries eligible for the low GDP (Gross Domestic Product) reduction are:

  • African countries

  • Asian countries (with following exceptions: Brunei Darussalam, Hong Kong SAR, Israel, Japan, Kuwait, Macau SAR, Qatar, Singapore, UAE)

  • Latin American countries

  • and the following countries in wider Europe: Albania, Armenia, Azerbaijan, Belarus, Bosnia-Herzegovina, Bulgaria, Croatia, Czech Republic, Estonia, Georgia, Greece, Hungary, Kazakhstan, Kosovo, Latvia, Lithuania, FYR of Macedonia, Malta, Moldova, Montenegro, Poland, Portugal, Romania, Russia, Serbia, Slovakia, Slovenia, Turkey and Ukraine. In order to apply the reduction delegates must be affiliated in either private or public institutions that are based in the above countries. Delegates from all other countries need to register as Delegates from high GDP Countries.