A Extraordinária Encenação da Vinculação

Desde o primeiro processo que sou contra esta forma extraordinária de fazer vinculações com critérios muito mais restritivos do que a legislação geral aplicável. Percebo (embora com dificuldade) que existam sindicatos que apoiem e validem a coisa, na base do “antes poucos do que nenhuns” que é aquela forma de escolher um mal menor entre os maiores.

Só que, desta vez, o segundo processo de vinculação ainda é mais extraordinário, visto ter sido negociado (?) e decidido ao mesmo tempo que se preparava um processo de vinculação geral de precários na administração pública com condições muito mais favoráveis. Ou seja, se fosse aplicável aos professores, o mais certo era estarem em condições de serem vinculados certamente mais de 10.000 docentes, numa estimativa baixa (numa estimativa mais generosa passarão os 15.000). Com este processo extraordinário entrarão, no máximo dos máximos, uns 3.000.

Não percebo, com toda a sinceridade, porque há quem alinhe no apoio a tudo isto, com a carreira docente a só ser considerada especial quando se trata de a discriminar de forma negativa.

O que não percebo, igualmente, é como é que um negociador nato como o Mário Nogueira, que certamente não terá dificuldade em aceder a informações sobre as negociações desenvolvidas em outros sectores da administração pública há meses, se terá deixado enganar de forma tão ingénua, não denunciando atempadamente o enorme barrete enfiado nos professores precários que, aos milhares, verão outros trabalhadores vinculados com condições similares às suas. A Ana Avoila já não é sua camarada de luta nestas coisas?

Porque eu acredito – tenho de acreditar – que ele foi enganado na sua imensa boa fé negocial.

A alternativa é demasiado… sei lá… indecorosa para eu a admitir assim de caras e sem receio de me mandarem os cachorros de fila ás canelas.

Barrete

4 thoughts on “A Extraordinária Encenação da Vinculação

  1. Encenação idêntica têm sido os últimos concursos internos, com uma catrefada de horários permanentes em quadro de escola/agrupamento por declarar.

    1. Simples… a “reposição” salarial, devido às mexidas do irs que têm sido feitas, levaram a um aumento dos descontos, assim como se passou a receber apenas 50% do subsídio de Natal e, cada mês.

  2. Pois. Ainda ninguém percebeu o que o Mário anda a negociar. Ou melhor NADA. Só fogo de vista para entreter. Continuamos congelados até ao tutano. Nem descongelamento, nem progressões, nem bónus (lembram-se que havia uns trocos para as classificações sucessivas de xalentes e tal? Por um canudo.). É ver os outros a se mexerem bem e a progredirem: militares, psps. gnrs, cgds, etc e tal. E nós? NADA. Somos mesmo uns cordeirinhos… Enxovalham-nos até mais não. E nós? NADA.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.