Baptista Bastos (1934-2017)

Morreu. É uma figura que não faz parte do meu panteão pessoal mais restrito de influências, mas sempre o apreciei e reconheço-lhe uma excelência na crónica e na atitude cívica que é rara em tempos de malta que não se cansa de se auto-elogiar. Muito do que Baptista Bastos escreveu foi exactamente contra esta estirpe de ensimesmados, afogados na sua própria excelência.

baptista bastos

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s