O Velho Paradigma

Já se está a arranjar a forma de todos fazerem “prova de vida” e saírem bem de um “braço de ferro” que só alguns traumatizados articulistas do Observador tomam como certo, mas que mais não é do que uma encenação de arrufo para cumprir calendário e dar a sensação de conflito. Se já em tempos de Crato, algumas migalhas serviram para anunciar “vitórias”, o que se pode esperar de “lutas” que só irão até ao ponto a que chegam as trelas da FNEprof. Aliás, o que me consta é que isto é mais dirigido ao Conselho de Ministros do que à 5 de Outubro.

Reparem…

Já quanto às questões do descongelamento das carreiras, regime especial de aposentação e vinculação docente, a FNE admite que a urgência é menor: “Sobre as outras matérias é preciso que da reunião saia uma orientação sobre o sentido em que vamos.” Mário Nogueira, secretário- -geral da Federação Nacional de Professores (Fenprof), também considera a questão dos horários “a mais imediata, por ter impacto já em setembro”. Os outros temas “são de negociação mais longa”, diz, exigindo ao Governo compromissos.

Treadmill

Anúncios

17 thoughts on “O Velho Paradigma

  1. “Aliás, o que me consta é que isto é mais dirigido ao Conselho de Ministros do que à 5 de Outubro.”

    É em conselho de ministros que está o Centeno……preparando o OE.

      1. Esta foi a pergunta que ficou para a estória do ex-ministro das Finanças Vitor Gaspar.
        Pelo que vamos lendo, o actual MF continua na peugada……

  2. Claro que tem toda a razão, Paulo. Amanhã vai de lá sair uma espécie de memorando de entendimento, versão não sei das quantas, com promessas

    Fui dar uma vista de olhos pelo artigo do Observador e comentários. O que para lá vai. Até fico apavorada com o que nos chamam nas caixas de comentários de notícias que dizem respeito aos professores. Que mal tratados e mal vistos somos por uma parte do público.
    Acho piada (not) dizerem que se prejudicam, no caso de greve, os alunos, que não têm culpa. Eu gostaria de saber se quando os médicos ou enfermeiros fazem greve, os doentes têm culpa. E não será bem mais grave? Haja paciência!

    1. O Observador saliva por uma greve de professores, em especial se profundamente inábil e com uma “agenda reivindicativa” que abdica à partida das questões que mais congregam a insatisfação.

      Confusão entre componente lectiva e não lectiva? Continuará, por muito que se “esclareçam” certas coisas. Basta agarrar no horário de colegas de escolas diferentes e ver o que é a “autonomia”.

      1. Seria bom que as hrs de redução do artg 79 voltassem à comp trabalho individual.

        E isso iria mexer com muita coisa……

      1. Nem, tão pouco, devolvem as que andam a ROUBAR ao pessoal com mais de 50 anos (desde o último estatuto-2007) … já era qualquer (muita) coisa… eu já deveria ter mais 2 H (desde há 3 anos) e há quem deveria ter ainda mais… é muita hora… com muitas consequências a diferentes níveis…

  3. Recordo uma canção de infância:”o comboio vai a subir a serra,parece que não vai….”
    Sempre a ser gozados e usados!

  4. Dia de conversa ufana …

    Aqui na por Coimbra há alguma malta preocupada com a reforma. E então parece que as reuniões sindicais do SPRC se dedicam especialmente ao assunto. De resto, nada de mais. Portanto, está tudo tranquilo e essa ameaça de greve é tão estapafúrdia que cairia no esquecimento se não referida por aqui ou acolá.
    As encenações são fracas, cada vez mais fracas. No outro dia, ouvi perguntar: ‘Mas pagam a este sujeito[Mário Nogueira]’? . Pois. Parece que sim.
    Aqui há tempos, quando queriam derrotar uma pessoa tb aqui da urbe, que era Directora, valorizavam o regresso ao modelo off Director. Passou-lhes, digo eu … talvez porque tenham conseguido manter a situação num caos brutal, talvez, digo eu … mas as flores eram lindas (esta é privada). Entretanto, vem o Verão.
    No fim, Paulo, compreendi melhor o que escreveste. Fui ler os links e gostei muito do ‘aspeto’. Dos dois ‘artigos’, um, não tem qualquer interesse, e o outro, também não. Mas é sempre bom referenciar estas coisas não vá alguém estar distraído e a coisa colar. E aqui, refiro-me à história dos profs. colocados por doença irem para os cuidados domiciliários de crianças muito pequenas.
    Boa noite

    1. Greve “estapafúrdia”?

      E qual é o problema da “malta preocupada com a reforma”?

      Uma vez mais, já considerou as implicações no resto?

      Covfefe! Para ler isto da parte de professores (que terão a lucrar com melhores condições e carreira), então leia-se a opinião pública que pupula na CS……

  5. Desculpem o desabafo e sem querer ofender as opiniões de cada um/a:

    – a greve é estapafúrdia
    – há serviços mínimos e por isso nada a fazer
    – o Nogueira não dá aulas há muito tempo
    – os termos da negociação é só para a tentativa de 1 aposentação mais justa (e eu estou longe disso, portanto….)
    – melhorias no horário de trabalho/ mais horas para trabalho individual não é importante (estou fora disso, portanto….)
    – a reformulação da cl e cnl também não me interessa
    – já fomos enganados e andaram a comer pizza
    – ou se trata dos descongelamentos, da gestão das escolas e dos aumentos salariais ou então é greve estapafúrdia
    – nunca se consegue nada

    Prefiro as razões mais claras: não faço greve porque não posso pagá-la/ porque os alunos são prejudicados/porque sou contra greves.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s