Flexibilizando

Eu que por vezes sou visto ou apresentado como uma espécie de professor do século XIX para a escola dos tempos medievais, há muito que, em turmas com um perfil mais desafiador e com alunos com um ritmo mais para o parado é que estamos bem, flexibilizo a escala dos 0-100% em cinco nacos de acordo com os níveis de 1-5. Aos 40% já está quase garantido o nível intermédio e nem sequer uso setinhas ou mais e menos para parecer que me envergonho de dar o que dou. A bem dizer, é difícil que um qualquer verdasca me ensine o que é promoção do sucesso ou justino que me acuse de cultura de retenção. Mas mesmo assim, por muito que se empurre, há quem insista em que nem sabendo escreve o próprio nome se deve ter certificado de excelência. E há costas que concordam. Mas com isso é que não há pacto que se aceite.

Fiat

Anúncios