Tédio

Sim, já sabemos… os exames são maus e falíveis. Abandonemo-los ou façamos só de cruzinhas (há quem já os faça, depois aplique uma grelha tipo totoloto e já estão as “aprendizagens” avaliadas). Incluindo para o acesso à Universidade, à moda americana dos SAT. Ou tudo numa plataforma digital, em que os alunos nem precisem de saber escrever. O melhor mesmo é mudar de vez de paradigma a ver se ao menos deixamos de levar com esta conversa em cima, ano após anos, como se fosse novidade (com o selo de “estudo” feito por “especialista”) o que se diz há mais de 150 anos (por alguma razão não se terá ainda conseguido um modelo verdadeiramente alternativo para a escola de massas, mas…).

Se concordo com as “alternativas” para a avaliação? Claro… até pratico algumas (embora provas orais individuais para apresentação de projectos fossem uma coisa interessante de operacionalizar). Não sei é se algumas destas pessoas que tanto as defendem as praticam com os seus alunos.

formas-de-regateo

 

Anúncios

13 thoughts on “Tédio

  1. “embora provas orais individuais para apresentação de projectos fossem uma coisa interessante de operacionalizar”

    É mais ou menos isso que se faz nas PAP dos cursos profissionais. E, aparentemente, corre bem.

    Dispenso velhos e novos “paradigmas”, mas na verdade o modelo pesado e maximalista de exames do secundário está esgotado e apenas persiste porque os doutores do superior são demasiado finos para se encarregarem de seleccionar os seus próprios alunos e querem os professores do “inferior” a trabalhar para eles.

    O tema é interessante, e espero escrever algo sobre ele amanhã.

    1. Essa é que é de facto a grande questão. Se os “doutores do superior” não fossem tão finos, eles é que deveriam fazer isso. Seria a maneira de se acabar com notas inflacionadas, deixariam de ter interesse, e talvez os alunos (e EEs) deixassem de pressionar os professores…

    2. Provas orais: coitados dos surdos, gagos e tímidos.
      PAP dos profissionais: ainda não acabei de rir.
      Professores universitários a selecionar os SEUS PRÓPRIOS alunos: ninguém leu «O País da Cunha»?

      Aparentemente até o Paulo desistiu dessa coisa pesada e maximalista chamada exigência.

      Pois, meus caros, dados meus traços de personalidade e a minha origem sociocultural, se fosse aluno sujeito a estes «novos paradigmas», eu jamais teria singrado neste sistema que tantos defendem e querem impor.

      1. Quando acabar de rir talvez possa reflectir um pouco, e constatar que são os profissionais e as suas PAPs, para onde são encaminhados os “maus alunos”, que permite que no restante secundário continue a imperar o actual sistema de exames.

        Quanto aos professores universitários, não são já eles que, há muitos anos, escolhem os seus futuros colegas? Qual é o problema de seleccionarem os alunos?

        E sim, eu também vivi num mundo onde quem fizesse os exames todos certinhos tinha no final do curso milhares de empregos para a vida à sua espera. Mas hoje duvido que alguém se lembre de perguntar ao candidato, numa entrevista de emprego, que nota teve no exame de Matemática do 12º ano.

      1. Copy/paste até nós, nos blogues, usamos habitualmente.
        A questão é aprender quando e como usar, e a escola também lá está para isso.

        As PAPs têm orientadores, que não se devem, nem fazer o trabalho pelos alunos nem deixá-los entregues a si próprios. Claro que aqui, ser exigente e não aceitar a primeira treta feita pelo aluno dá mais trabalho, pelo que a tentação pelo facilitismo existe dos dois lados. Mas não tem de ser assim.

        Mais fácil é acabar as aulas uma semana mais cedo e mandá-los estudar para casa.

  2. Essa do copy/paste para os blogues pode ser auto-crítica… cá por mim, as citações aparecem sempre com a devida autoria ou ligação.
    MAs sei que há outras práticas e acredito que as já tenhas encontrado em outros espaços.

    Mas mete lá a lama num ventilador em outro lado, pode ser?

    Quanto às PAP, se achas que é a solução para substituir os exames, muito bem.
    Eu acho que é apenas uma metodologia de trabalho parcial.

    1. Vamos com calma…

      Eu uso copy/paste habitualmente, quando que cito alguém, linkando sempre que possível e/ou indicando a proveniência. Acho que todos fazemos isso. Referi-me ao uso correcto do copy/paste, como julguei que fosse evidente.

      No resto, PAPs ou exames, não tenho posições fechadas sobre a matéria. Acho que deve ser discutida e o que me entedia são os consensos de regime em torno de um sistema cada vez mais desajustado e cujo lixo é cada vez mais difícil de empurrar para debaixo do tapete.

      1. Não me parece que exista qualquer consenso, pois vejo a actual maioria a dizer muito mal do que fez a anterior maioria.

        Se fazem parecido, é todo um outro campeonato.

        A ver se nos entendemos… copy/paste é uma coisa, outra citar adequadamente o que se usa. Que há quem pilhe as ideias e textos alheios… isso é inegável.

  3. António Duarte, vou continuar a rir eternamente. As PAP são uma treta de todo o tamanho.

    Na sua pseudo-resposta, cujo primeiro parágrafo me vai levar os últimos fios de cabelo até eu compreender o seu significado, o que perpassa é que o caro também desvaloriza essa coisa aborrecida e ultrapassada: o conhecimento. O que interessa é que os futuros homens e mulheres deste país, para ser politicamente correto, saibam fazer, dominem as benditas competências, tenham espírito crítico e blá-blá-blá.

    E o Paulo tem toda a razão: “copy/paste”. Por exemplo, se colocar em prática um projeto de trabalho em torno de Pessoa, vão surgir à minha frente 120 a 150 coisas copiadas da net. Dá uma trabalheira infernal andar a destrinçar as cópias dos originais, exceto se dois ou mais alunos fizerem o mesmo «copy/paste».

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s