Hoje Há Sunset da CDU

Algo que nunca esperei ouvir dos altifalantes de um carro de campanha da CDU num concelho aqui perto de mim. Chamem-me preconceituoso mas achei uma modernização espectacular do vocabulário de mobilização do eleitorado da dita coligação. Quem diz que não há rejuvenescimento na ortodoxia?

Sunset1

13 thoughts on “Hoje Há Sunset da CDU

    1. Olhe que não… olhe que não… até porque se adivinham umas novas alianças CDU/PSD após 1 de Outubro. Como em Loures.

      E nem falarei de outras coisas muito menos coerentes, por exemplo, do camarada Mário.

      Tomara eu que fossem mesmo princípios inabaláveis, mas não são… vejam-se os chicos santos e os vargas deste mundo que tanto me acusaram de fazer o que foram eles a fazer.

  1. O choque de Loures. Já conheço a opinião.
    O choque do camarada Mário. Já conheço a estória do bigode, da barba, das pizzas e, last but not least, do malandro que não dá aulas há muito tempo.
    Os outros 2 casos, não conheço.

    Mas nada do que refere retira verdade ao meu comentário acima postado.

  2. E a paradigmática táctica mantém-se inamovível em ortodoxia não assumida:

    – substantiva-se a pessoa;
    – alega-se dificuldades na compreensão escrita.

    Monotonous, isn’t it?

    1. Se bem percebo adjectivei a pessoa. Para substantivar teria de haver um substantivo ou mesmo substância nos comentários.

      Monótono é ter anos de assédio… phosga-se…

      E repito… não escrevi nada que tenha sido comentado… agora se toquei em algum ponto sensível, é toda uma outra dinâmica.

  3. 1-a palavra usada é tanto substantivo como adjectivo;
    2- divergência pontual de pontos de vista não é assédio;
    3- novamente, o truque – agora do adjectivo;

  4. 1 – No contexto é adjectivo.
    2 – Divergência sistemática com calúnias em blogues alheios, sempre acompanhada com interesse.
    3 – Ignorância é ignorância.

  5. 1- não é.
    2- divergência pontual de pontos de vista não são calúnias nem assédio.
    3- truques são truques.

    1. Acabou aqui o que não chega a ser réplica, porque não levo a camarada F suficientemente a sério para perder mais tempo.

      A camarada F andou por blogues de gente que agora diz desconhecer a comentar coisas que deveria ter vergonha na cara de escrever sobre alguém que desconhece em concreto. Sim, fez comentários difamatórios em mais de um blogue e eu já me fartei de os transcrever no passado.
      Por causa disso, foi das poucas pessoas que bloqueei nos tempos do Umbigo e mesmo aqui.

      Se acha que os outros escrevem mal, pensam mal, etc e tal mal, crie um blogue, escreva, dê a cara e não seja parasita.

      Repito: adjectivei a “camarada” Fernanda e farei isso sempre que entender. Não há “truques”. Há é gente sem poiso. Acontece.

    1. Há realmente gentinha que não se sente, não por causa da ascendência, mas mesmo por defeito de carácter. A camarada F para sensibilidades, que me lembre, recordo as excitações com um aluno do Camões que um dia discursou numa assembleia e disse umas coisas. Mexeu com a camarada 🙂 . São os Outonos vibrantes.

      Por acaso conheci pessoalmente o rapaz. Simpático. Parece que emigrou. Lamento.

      1. E acabou por aqui a conversa, porque isto não é para descarga de frustrações alheias. Só as minhas 😛

        (já agora… no concelho do sunset, a derrota está a ser das grandes…)

Os comentários estão fechados.