11 thoughts on “E Este Tipo de Terrorismo?

      1. Ainda nada? Uma pista…pode ir pelo aspecto “organizacional”. Tirando isso, não vejo como um louco que atropela 20 ou 30 pessoas em França, cego pela sua fé se distingue muito de um tipo que mata a tiro 50-60 pessoas cego por outra coisa qualquer.

      1. Pelo contrário… relativismo é anda a associar apenas algumas práticas ao terrorismo se forem do lado “certo/errado” e relativizar a gravidade das restantes. Eu não acho que isto é “terrorismo” por ser “mau” mas sim porque nos EUA o porte de armas e o seu uso quase sem controle ser algo que, em meu entendimento, até por se enquadrar numa ideologia de direito à “legítima defesa” (mesmo que o ataque seja imaginário) produz centenas ou mesmo milhares de mortos anualmente.

        Mas estou habituado a que as pessoas enunciem “cenas”, tipo terrorismo”, “relativismo” e quando se pede para desenvolverem não o conseguirem ou não quererem. Em especial, porque sabem que não se aguentam nas suas “teorizações”.
        É tramado…

      2. … só falta dizer por que razão a afirmação
        ” (…) EUA o pote de armas e o seu uso quase sem controle ser algo que, em meu entendimento, até por se enquadrar numa ideologia de direito à “legítima defesa”(…)”
        não é uma forma de juízo do tipo
        “(…)lado “certo/errado”(…)”.

        Não lhe vou pedir que teorize sobre isto tal como o faz quando respondeu a estes meus comentários (afinal isto não passa de conversas de café), mas pode elucidar-nos sobre a causa dos EUA serem “(…) o pote de armas e o seu uso quase sem controle (…)”? E, já agora, esse tipo de cultura pode ser mudada por decreto… como quem regula taxas de utilização de isqueiros?

        Para finalizar esclareço que não me importo nada de não conseguir, nem sequer saber aguentar, com as minhas “teorizações”… pelo menos aqui, caro ilustríssimo… sou uma “dessas” pessoas!

  1. Então, Renato, eu explico devagar o que acho… no meu caso não utilizo o “lado certo/errado”, porque considero ambas as práticas erradas. Daí ter considerado como “terrorismo” o que se passou em Las Vegas. No seu caso é que que parece existir um lado certo para se definir o que é “terrorismo”, excluindo outras práticas de assassínio em série.

    Para além disso, o que afirmo sobre a “ideologia” ou “cultura” de parte dos EUA quanto ao uso de armas encaixa exactamente no que penso ser uma forma de pensamento sobre o uso das armas que acho demasiado próxima do “terrorismo” encarado de uma forma mais clássica. Em ambas as circunstâncias existe uma reacção armada e voluntariamente letal quanto ao que se consideram “ameaças”.

    Também por isso, tal como em relação a terrorismos como o islâmico ou mesmo alguns de extrema-esquerda na Europa nos anos 70 e 80, acho que as coisas não se resolvem com papéis, mas com a alteração do contexto em que essa cultura floresce, claro que não excluindo a existência de mecanismos de coerção activos contra quem prepara este tipo de actos.

    O resto são picardias de quem gosta de armar em pica-miolos, mas parece incomodar-se com quem reage do mesmo modo.

  2. Este tipo não tem objectivo algum apenas “divertir-se” e disparar e muito provavelmente achou ser a hora de se fazer notar. Milicias armadas são uma normalidade nos states e no meio rural ainda mais. . O seu pai era psicopata e com tendências suicidas, ele apenas sentiu o apelo dos genes e fez click. A Suíça e Finlândia são dos pais do mundo com mais armas e apeara disso não existem por lá massacres.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.