Um Conselho de Ministros “Extraordinário”…

… não se faz no fim de semana seguinte a uma tragédia. Se é para esperar por “medidas” dignas desse nome é pouco tempo para quem teve meses. Se é para reagir aos acontecimentos é uma eternidade. Dirigir um governo não é o mesmo que debater com outros barões mediáticos do regime numa qualquer quadratura.

AntCosta

Anúncios

Delírio, Demência ou “Apenas” Incompetência?

Reparem na sequência de mails recebidos por uma colega que viu a sua candidatura ser excluída do concurso extraordinário, para depois ver o seu recurso hierárquico deferido (ou seja, porque a DGAE tinha feito *€**@ originalmente).

10 de Outubro de 2017 (após pedido de esclarecimento sobre a situação por resolver na sequência do deferimento do recurso):

Exma. Sra. Professora,

Relativamente ao assunto em epígrafe, e em resposta ao pedido de esclarecimento enviado a estes serviços, informa-se V. Exa. que, deve aguardar pelo resultado da reconstituição da sua situação concursal, respeitante ao recurso hierárquico interposto, visto que, os nossos serviços aguardam o envio da manifestação de preferências por parte de V.Exc.

Relembramos que o recurso não tem efeito suspensivo, pelo que a situação atual, se mantém inalterada até ao proferimento da decisão.

Com os melhores cumprimentos.

DSCI/DGAE

11 de Outubro de 2017 (após resposta em que a colega referia que as preferências já tinham sido indicadas no momento do concurso):

Exma. Sra. Professora,

Relativamente ao assunto em epígrafe, por lapso, foi V.Exc. informada que os nossos serviços aguardam o envio da manifestação de preferências. Deste já ficam expressas as nossas desculpas. Contudo, é de salientar que deverá aguardar pelo resultado da reconstituição da sua situação concursal, respeitante ao recurso por vós interposto.

Com os melhores cumprimentos.

DSCI/DGAE

12 de Outubro de 2017:

Caro(a) Candidato(a),

Na sequência do deferimento que mereceu o recurso hierárquico que V.Exa interpôs no âmbito do concurso de 2017, informamos que estamos a proceder com a maior celeridade à reconstituição da sua situação concursal.

Dado que foi reintegrado nas listas de ordenação do Concurso Externo, não será integrado nas reservas de recrutamento agora em curso, até que sejam executadas todas as simulações relativas à posição que poderia obter nas fases concursais que já terminaram (Contratação Inicial, RR1, RR2, RR3, RR4…), no caso de ter integrado a lista de ordenação.

Se se verificar que, feita a reconstituição, obtem colocação numa das fases anteriormente mencionadas, será devidamente notificado, assim como o respetivo agrupamento de escolas / escola não agrupada. Este organismo deverá integrá-lo e regularizar a sua situação à data em que teve direito à colocação.

Com os melhores cumprimentos,

A Diretora-Geral, Maria Luísa Oliveira

Isto é de doidos, de gente que não tem qualquer noção do que anda a fazer com a vida alheia. Isto nem é caso para demissão simples, mas para se pedir indemnização por danos causados, muito para além dos materiais.

Todos estes documentos deveriam trazer autoria, com assinatura reconhecível. Foi assim que, há quase 20 anos, tive de ir à DREL que um certo “técnico superior” não passava de um moço de fretes para alguns amigos.

Mas agora é tudo muito digital, com siglas a esconder.

Será que agora, como as “populações”, também temos de ser resilientes em relação a esta palhaçada nos domínios da secretária Leitão? Isto não se resolve com a contratação de juristas, mas com o despedimento desta gente imbecil. Só que não há coragem…

clown