Há Plurais que me Escapam

Tenho respeito intelectual por Joaquim Azevedo e reconheço consistência ao seu pensamento, naquele sentido em que escreve e diz hoje o que me lembro de lhe ler e ouvir há décadas.

Mas há uma linha muito clara entre o seu estatuto e o meu. Entre a sua prática profissional e a minha. Portanto, quando ele escreve que somos nós, os professores, que temos de desfazer os nós em que nos enredaram e nos quais nos temos deixado estar enleados“, gostaria de deixar aquin um par de notas:

a) Sei que ambos somos “professores” no sentido lato do termo, mas é muito mais o que nos separa do que o que nos une, até porque Joaquim Azevedo tem décadas de relação estreita e quase sempre pacífica com o poder político, mandato após mandato, com a ocupação de imensos cargos na Corte apenas achando eu que é injusto se não for, daqui a 4 anos, presidente do CNE. Já vai sendo tempo.

b) São poucos os “professores” fora de algumas redes especiais que podem gabar-se de ter uma influência evidente sobre o sentido de algumas políticas educativas, nomeadamente ao nível da municipalização e do desenvolvimento curricular, e participar em parcerias e consultorias para a sua implementação no terreno, através de contratos com autarquias (vejam-se os casos de Lousada, Matosinhos e Óbidos).

Este slideshow necessita de JavaScript.

Não estou a dizer que estas práticas são ilegítimas ou ilegais, porque o não são. O que me arrepia é a pronominalização usada.

É que por vezes podemos acreditar que tudo isto é para “nosso” bem. Pois… quiçá, porventura em outra encarnação, mas nem por isso. Há sempre os que, querendo parecer iguais, são mais iguais do que outros.

Animalfarm

8 thoughts on “Há Plurais que me Escapam

  1. Não reconheço coerência no pensamento do professor Joaquim Azevedo, não que isso seja necessariamente mau, mas muito mudou… Agora anda tudo muito Escola Moderna…
    Não me unirei , com certeza, a nenhum dos projetos a que está ligada a Universidade Católica, a não ser que seja obrigado… E sim, toda a gente sabe que há uns quantos que são uns iluminados, os outros têm saberes dispersos e não se adaptam a um Mundo celerado… A não ser que haja uma bela consultadoria , num qualquer município perto de si, onde doutores insingnes formadores, grandes vultos da pedagogia, a formar os que já foram formados por esses mesmos formadores…

    1. Leio o mesmo em obras do JAzevedo há pelo menos uns 20 anos. Desde as “Avenidas da Liberdade” e outros escritos feitos depois de sair de funções executivas… se mudou alguma coisa? Sim, o eduquês “de direita” é talvez mais evidente agora.

  2. AC: Mas alguma coisa é para ser coerente com outra, em matéria de ensino? O que interessa é vender, livros, ações de formação, ideias avulso, acordos ortográficos, computadores, exames com diploma….. Ui!

  3. É a endogamia que me enoja. São sempre os mesmos a “formar eternamente” aqueles que criticam à posteriori… e que precisam sempre de mais formação…porque são eternamente desinformados… Raça difícil de domesticar de facto, estes zecos…

  4. Mas esta malta da Católica anda à rasquinha… Os alunos nos cursos de educação são poucos, o financiamento tem que aparecer de outros lados…. Até o José Matias Alves dá 3 cambalhotas à frente e prestou-se a ser mandatário do PC em Gondomar. O camarada Mário saberá?

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.