Há Dias Em que Até Um Miserável Precisa de Debater Com Gente de Bem

 

O giro é que em 2010 (ali pelos 9′ 45”) a criatura ainda usava exactamente as mesmas estatísticas que usa agora (Portugal com o 8º ou 9º investimento em Educação na OCDE, as palavras são quase as mesmas, a evolução nula). A diferença? O miserável que lá estava sabia os números e não estava narcoléptico como aquela gente que agora está no programa da luz apagada na RTP3.

É giro ver aos 19’00” o Miguel Morgado a defender a reforma descentralizadora da Suécia que já estava em reavaliação pelos maus resultados alcançados. E pensar que certa malta, que raramente conseguia alinhar um número ou facto actualizado ou que não fosse repetição automática, um ano depois, andava já toda de fatinho de razoável corte a passar por gurus da comunicação política.

Há alturas em que me interrogo acerca da santa pachorra que eu tive durante anos afio para aturar estes miserabilismos.

Os RodrigosMoitasdeDeus São Uns Miseráveis

E cheiram mal da boca. E usam ceroulas de malha. Saberão gramática e sintaxe mas não sabem escrever. Especulam e inoculam. Não precisam disfarçar-se para ser salteadores, basta falarem como um. Basta não terem escrúpulos, nem morais, nem artísticos, nem humanos. Basta andarem com as modas, com as políticas, com as opiniões. Basta usarem os tais sorrisinhos e olhos meigos. Basta serem rodrigosmoitasdedeus. Basta serem. Pim.

RodrigoMD1

(não morram como os dantas, afinal há que manter a diversidade da espécie animal com cérebro de mineral)

Acho Normal Que um Gajo Destes Não Goste de Professores

(até porque podem sempre tentar ensinar-lhe a escrever duas frases complexas seguidas sem tropeçar em qualquer coisa)

Tem a mania que é marialva e que faz voz grossa, mas cara a cara só mete medo ao espelho lá de casa. Parece que ontem deu-lhe para a ofensa desabrida acerca dos professores na RTP3, pelo que em coerência com a liberdade de opinião, pode sempre dizer-se que opiniões de bestas só chegam a ex-betinhas (agora já tias quase balzaquianas) da linha em busca de frémitos serôdios.

A criatura começa a falar aos 21′ e a partir daí é só disparates (desde o elogio às “escolas novas” de Sócrates, aos “resultados miseráveis” dos alunos, tendo aos 24’20” decidiu que tudo o que há de mal no sistema educativo se deve aos professores que “são miseráveis” [sic]).

Mas, nem a entrevista aliviou a pressão e os receios de Ricciardi. Envolto num turbilhão de notícias, o banqueiro pediu ajuda a dois amigos para evitar Paulo Padrão e fazer a ligação não oficial aos media, sem ser também pela mão do assessor que tinha no BESI, Pedro Pereira Santos. Um dos amigos de que se socorreu foi Rodrigo Moita de Deus, mais um antigo jornalista convertido ao trabalho das agências de comunicação (integrou a poderosa LPM Comunicação e depois foi sócio da NextPower, ligada ao mesmo grupo do ex-jornalista Luís Paixão Martins, que também instituiu o News Museum) e que, em março de 2012, foi eleito para a direção da Comissão Política do PSD presidida por Pedro Passos Coelho.

Rodrigo, pá, vai coçar os tintins ao senhor padre cura e aos rqiquinhos, já agora, se precisas disso para ir ao barbeiro. A tua sorte é que “debates” com três múmias paralíticas que não te sabem chegar o verbo ao pelo como tu pensas que podes fazer a toda a gente que te desagrada ao pergaminho corrompido.Zepov

(a bem dizer aquele programa tem uma elevadíssima proporção de abencerragens, destras ou pseudo-canhotas, tipo Joaquim Vieira a tentar falar do que não sabe…)