Cooptações e Camaleões

Centeno foi cooptado pelo Ecofin/Eurogrupo naquela estratégia conhecida de sedução dos que podem desalinhar um pouquinho mas são, no fundo, compinchas que só querem ser reconhecidos pelos “pares”. A geringonça assustou até ao ponto em que se percebeu que a “responsabilidade” é coisa muito querida aos tugas que querem ser bem vistos lá fora. Agora que se está já em rampa de partida para a campanha eleitoral de 2019 e começam a apertar algumas reivindicações temerosas dos “radicais”, a Europa recompensa o “responsável” Centeno que, em contrapartida, não pode “responsavelmente” presidir a um órgão do qual possa discordar dos princípios básicos. A escolha de Centeno é uma forma de prisão para Portugal e, de modo pouco subtil, um apoio evidente à manutenção de Costa no “caminho certo”. Como tantos outros, Centeno vai querer ser um “bom aluno” e (qual professor chegado a um gabinete de uma direcção-geral que começa logo a  defender os interesses “superiores” da Educação contra os “corporativos”) defender os interesses da “Europa”, da “estabilidade, etc e tal.

Ondas

(para qualquer eventualidade o nosso bilderberg man também já cooptou aquele que quer ver “responsavelmente” a presidir ao PSD…)

Anúncios

Há a Escola-Alfaiate e a Educação Versátil

Parece que aprendem umas palavras novas – para eles serão “conceitos” – e depois despejam-nos.

O primeiro-ministro sublinhou também que não se pode “ignorar que o acesso à educação versátil é absolutamente a condição fundamental para que as crianças e os jovens de hoje possam responder às diferentes necessidades do futuro”.

António Costa, ao contrário dos que o acham um génio da coisa, é bastante atabalhoado a falar e não apenas em termos de forma.

AntCosta