Nostalgias

Anúncios

Saudades de Há 20 Anos?

De ter menos 20 anos e ainda acreditar um pouco que as coisas podiam melhorar? Sim. Do resto? Nem por isso. Havia maior companheirismo, boa disposição nas salas de professores? Sim. Quanto ao resto? Nem por isso. Há 20 anos tem a vantagem de ser a.MLR. Quase só isso. Agora é melhor? Não, em muita coisa. Mas tenho saudades de ser contratado, andar em mini-concursos, feitos em papel, de cae em cae, sem subsídio de desemprego até estar colocado, quando calhava lembrarem-se de ir ver as vagas por preencher? Nem por isso. Mas eu tive um percurso atribulado, andei por fora, fiz outras coisas, não fiquei efectivo aos 25 anos, ali por 1990 ou pouco depois, com muita gente da minha geração. Ou ainda antes, como muita gente com mais uns cinco anos. Há quem diga que passou por muito, mas que esteja instalada desde essa época, pelo que tem saudades dessas acalmias. Mas a vida não era assim para todos. Quando nos ríamos das exposições da área-escola feitas em 99,9% por alguns colegas que adoravam ficar bem no retrato. Quando nos queixávamos do laxismo disciplinar induzido pela legislação burocrática dos tempos do guterrismo-benaventismo.

A prova maior do envelhecimento do corpo docente é que já se esqueceram de como eram as coisas ou, em alternativa, já se querem refugiar num passado mítico. Estamos melhor? Depende. A carreira desapareceu, é certo. Ou foi triturada. O companheirismo das salas de professores de há 20-25-30 anos é quase uma miragem. Mas isso é porque somos os mesmos, todos esses anos depois e uma série de benaventes, rodrigues e cratos depois. Se olharem bem, os azevedos, valteres, alaízes, roldões e verdascas continuam por aí, como já andavam então. A espalhar a palavra que já na altura anunciavam como nova. A clamar por sucesso, mas sem empurrando sempre a responsabilidade para os outros. Como agora.

Há quem sinta nostalgia ou algo parecido. Eu não.

O futuro não foi o que era para ter sido? Certo, certo, mas isso não muda o passado.

Coelhorelogio

Mais Um Desafio…

… aos que acham que os rankings humilham as escolas: acabem com as pautas de final de período e mesmo de ano que humilham os alunos que têm piores classificações. Fica só o apto/não apto para transitar, se possível com todos “aptos” ou, em alternativa, com os “não aptos” a nem sequer aparecerem nas ditas pautas.

Igualdade

(o ridículo é que eu nem adoro a coisa, só me enervam as coerências até ao meio dia…)

(ahhh… e não se esqueçam de não humilhar os adversários desportivos quando perdem…)