O Remate Final

Estamos velhos, somos um empecilho. Realmente, já cá estava a faltar este “argumento”…

A idade é um obstáculo à mudança?

Os professores em Portugal são em média mais velhos do que os seus parceiros de outros países. E isto, segundo a OCDE, é um desafio para o desenvolvimento da flexibilidade curricular.

A ver se nos entendemos… nada contra a mudança, mas muito contra a arrogância, a estupidez e, principalmente, a tentativa de desacreditar os professores por todos os meios. O Costa cada vez parece mais o Gualter, só que tendo o bom senso (mas falta de coragem) de fazer outros dizerem por si o que pensa. Convidam alguém lá de fora, da OCDE, para fazerem este papel. E o Schleicher deve gostar de Portugal com este sol de Inverno, por isso, vem cá e vai de papaguear a cartilha.

Quanto à idade e a “flexibilidade”. Ao menos, eu já sou do tempo em que estas ideias eram realmente (quase) novas.

Haddock

Anúncios

A Ler

21ST CENTURY SKILLS

(…)

It should be noted that the “21st century skills” concept encompasses a wide-ranging and amorphous body of knowledge and skills that is not easy to define and that has not been officially codified or categorized. While the term is widely used in education, it is not always defined consistently, which can lead to confusion and divergent interpretations. In addition, a number of related terms—including applied skillscross-curricular skillscross-disciplinary skillsinterdisciplinary skillstransferable skillstransversal skillsnoncognitive skills, and soft skills, among others—are also widely used in reference to the general forms of knowledge and skill commonly associated with 21st century skills.

(…)

standardizedtestcartoon

 

Isto É Só Uma Ideia

Já pensaram que os quizzes que agora se recomenda muito que se faça porque atraem os alunos e são digitais e tal são uma das modalidades mais padronizadas de “teste”? Assim como as “plataformas colaborativas” é das metodologias, porventura, mais propiciadoras a uma indiferenciação do trabalho docente. Mesmo entre os alunos, não será que um excessivo peso do aspecto “colaborativo” não acabará por reduzir a exploração de todas as capacidades individuais de cada aluno.

Pensem nisso, se não for pedir muito. Sem ideias pré-feitas com a Verdade Absoluta cristalizada nos dossiers do tempo da profissionalização ou, pior, do curso inicial.

STANDARDIZED TEST

SAT

(e eu até gosto de usar os quizzes, mas como se sabe não sou um daqueles críticos em ziguezague das coisas “padronizadas”… acho que tudo tem o seu lugar, conforme saibamos recorrer a cada ferramenta no seu devido contexto… o quer acho esquisito é que alguns “inovadores” recorram cada vez mais a instrumentos de avaliação como testes de resposta múltipla…)