Penitência

Pequei, senhor@s, por acção voluntária e ausência de omissão ou carência de recato ou qualquer coisa parecida. Vou ali comer uma hóstia ázima, beber um pouquito de tinto sacramental, benzo-me, confesso-me directamente à Entidade Suprema e estou como novo (mas a carecer de alguma movimentação física, porque isto do espírito inquieto é algo que se me nasceu assim). Amanhã é 5ª feira e espero apenas transversalizar competências nos alunos e interdisciplinar todos os intervalos.

Shame

Peço Mil Perdões, a Recaída Agora Só Se Explica Pela Minha Inveja (Pessoas Sensíveis e Politicamente Correctas Devem Evitar Esta Leitura)

Porque 22.000 horas lectivas para coordenar coisas são 1000 horários completos, daqueles sem nenhuma redução. São mais de 3 por concelho. E eu acho que, por exemplo, com um décimo desse valor (2.200 horas, 100 horários completos) seria possível desenvolver uns magníficos Clubes de Arqueologia Escolar e promover actividades de aprendizagem significativas ao ar livre, saudáveis e tudo. E o pessoal de Ciências não poderia criar Clubes de Ciência Escolar e fazer saídas de campo para explorar a fauna e flora locais e regionais? Só que… não há horas… as escolas andam a raspar o tacho e a ir buscar ao 79 para se conseguir alguma coisa.

Sinto-me mesmo invejoso… e sei que isto é uma forma de divisionismo pouco salutar mas, caramba, não nos atirem areia para os olhos. Porque enquanto uns são esmifrados  até ao tutano há os que se safam. E eu acho bem. Mas também gostaria que sobrasse para os outros alguma coisa, em vez de encher a barriga (esbelta) sempre aos mesmos.

Ou bem que há crédito horário ou bem que mamamos todos. E não me digam que todas as demais disciplinas são sedentárias e fazem mal à saúde e engordam os miúdos.

Docentes2015

4ª Feira

Um dia maravilhoso de aulas, repleto de actividades significativas e aprendizagens relevantes, sempre numa perspectiva de colaboração cooperativa na cócó, desculpem, co-construção do saber. O manto diáfano da luz matinal preencheu todos os espaços e reentrâncias dos seres, animados ou desanimados, nas salas, da d@s professor@s, qual del@s mais receptiv@ às novas concepções em implementação, às das aulas convencionais, com aquelas paredes horríveis a separar-nos de todo o mundo envolvente, quebrando a energia transbordante que tudo deve envolver numa aura de comunhão e plenitude. Mas o dia virá em que derrubaremos estas barreiras à expressão libertária das identidades aprendentes.

Chegará esse dia, oxalá!

ommm

(a libertação de toxinas negativas – não confundir com gases – emagreceu-me, no mínimo, 264 gramas, só até ao almoço… que foi frugal, tipo húmus e tofu e coiso de seitan às fatias com sésamo e uma pitada de sidra biológica… agora vou ali flexionar o abdómen…)

Promessa (Quase) Solene

A partir de hoje não deverei escrever sobre temas “fracturantes” em matéria de Educação, sendo minha firme convicção que o Futuro de Portugal só se constrói com uma visão positiva e optimista sobre tudo o que qualquer Governo – e seus ilustres apoiantes, convidados ou aparentados – decida em toda e qualquer matéria, a começar pela Educação Nacional. Até porque parece que o mau feitio engorda.

Take_a_bow_don_t_look_at_tags_b4cc83_3819968