Uma Espécie de Choque de Paradigmas

As mesmas pessoas e correntes político-pedagógicas que dizem que o ensino não pode ser treinar para testes e exames mas sim desenvolver competências são as mesmas que exigem que os professores marquem os testes e/ou fichas num calendário previamente publicitado bem como elaborem e entreguem matrizes e listas de conteúdos a abordar nos testes, sendo pecado a roçar o mortal falhar o guião.

Ora, idiota como sou nestas matérias, sempre considerei que uma competência que está em desenvolvimento pode e deve ser testada/avaliada a qualquer momento sem necessidade de pré-aviso e roteiro porque isso, para mim, é que é típico de um ensino adestrador para testes e exames.

Devo estar numa espécie de interstício entre paradigmas em evolução. Ou então muito na rectaguarda da vanguarda.

debate-1-story

8 thoughts on “Uma Espécie de Choque de Paradigmas

  1. Há quem “agende” os “2” testes para os 3 períodos logo no 1º dia de aulas do ano lectivo.

    Questionando a mais alta estrutura da escola, num momento informal e calhando a jeito, foi-me respondido que…………………………………… é por causa dos exames nacionais.

    E “prontes”……gostaram?

    Gostar

  2. o “calhando a jeito”, se bem me lembro, era a propósito da “diferenciação pedagógica”, acção de formação assaz brilhante a decorrer na escola na altura.

    Ainda sobre a “agenda” dos testes, ….por isso é que os alunos, logo na 1ª semana de aulas, perguntam pelas datas dos ditos.

    Mas, é preciso agendar 1 ou mais testes para avaliar a compreensão escrita ou uma compreensão oral (um listening)??!

    Gostar

  3. Sim. Sim. Completamente de acordo. Todos têm de seguir tipo carneirada. Ai de quem tresmalhar. Perseguido até à exaustão até voltar ao rebanho. Já faz lembrar seita.
    Aliás, tanto meninos como papás só pensam nos testes. Como se fosse período de frequências! Que bem preferia, porque assim não faria mais nada senão avaliações, o que já não é pouco. Pelo contrário, avaliações, provas às centenas mais outras tantas aulas. Um fartote. Para quê? Para no final passarmos os meninos com muitas negativas porque… sim, seguindo os iluminados conselhos de Alexandre Henriques. Tirem-me deste filme sff.

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.