Lá Por Fora

Nigeria: quatre ans après Chibok, la menace de Boko Haram plane toujours sur les enfants du nord-est

 

The Crisis in Syria, explained

 

Teacher Walkouts Threaten Republican Grip on Conservative States

 

A JOURNEY ALONG NORTH KOREA’S EDGE

The Cold Frontier

globo1

 

Anúncios

O Ministro-Sombra

Pois é, José… o mais giro é eu recordar-me um par de conversas há uns bons anos do tipo “jamé, jamé” quando eu prognosticava o desfecho do jogo muito antes dele começar. Depois, eu é que sou assim e assado e coiso e frito. O chato é acertar.

Já sei, já sei, o mundo rola e rebola e é como granola nas mãos de uma criança.

EDUCAÇÃO, CULTURA, JUVENTUDE E DESPORTO

Coordenador: David Justino
Porta-voz: Cláudia André

zandinga

(embora terceiro a contar do fim – com o Ensino Superior em penúltimo lugar – revele bem o grau de prioridade da Educação para o PSD ribeirinho… )

Abriu a Época das Promoções

Que pena o ME/IAVE não serem entidades com credibilidade para serem elas a certificar o que fazem os institutos privados e achar necessário pedir certificação externa com descontos para os alunos das escolas públicas. Para quando certificações externas em outras disciplinas? Em tempos sugeri o MIT para as ciências e tecnologias, mas podemos acrescentar Yale, Stanford ou a Sorbonne para as ciências menores, conhecidas por sociais e humanas.

Cambridge, Cervantes, Goethe e Francês são as quatro escolas com as quais o Instituto de Avaliação Educativa (IAVE) – responsável pela produção das provas e exames nacionais – assinou protocolos que conferem aos alunos do ensino secundário o acesso a descontos nos exames de certificação a Inglês, Espanhol, Alemão e Francês. O objetivo, apurou o JN, “é que os alunos possam assim enriquecer o seu currículo”. Sendo que os descontos podem ser superiores a “50%”.

Saldos

Big Coiso

Hosana nas alturas! O Nirvana contabilístico está à esquina. O giro mesmo é falarem de “condições pedagógicas”.

Instituto de Gestão Financeira da Educação tem nova Infra-estrutura Big Data

(…)

Com a nova solução da Fujitsu, o IGEFE, tem hoje a capacidade de planear as redes de escolas, no sentido de melhorar as condições pedagógicas dos alunos. Esta capacidade de gestão permite agora planear e antecipar diversas situações, assegurando uma maior eficiência das contas públicas. Por exemplo, consegue-se ter em tempo real uma perspectiva focada, por escola, dos custos associados a cada situação como água, luz, etc – torna-se assim possível antecipar uma rotura de água numa escola, uma vez que existe uma previsão do gasto mensal e existindo um pico de consumo é possível alertar a escola imediatamente, sem ter de esperar pela chegada da factura um ou dois meses depois. Só este ano lectivo, com este sistema inteligente de Big Data prevê-se que no final do corrente ano letivo, a poupança ao nível das despesas de funcionamento corrente atinja 1 milhão de euros. No que concerne à aplicação desta solução ao absentismo no Ministério da Educação, prevê-se que em velocidade cruzeiro se atinja uma poupança de 10 milhões de euros.

Hosana