O Ministro Tiago A Fazer Spin

Nas “novas” matrizes do Básico e Secundário não existe qualquer acréscimo nas “Expressões Artísticas” e quanto à Educação Física a medida não podia ser mais na lógica de Crato: a importância decorre de “contar para a média”.

Estive quase a comprar o Expresso para ler a entrevista toda, mas a partir deste destaque perdi a vontade. Porque o ministro Tiago, dois anos e meio depois, continua um comunicador inábil em tudo o que seja ir além do guião que lhe é fornecido. A “autonomia e flexibilidade” é uma reforma do secretário Costa que anda pelo país a vendê-la. O resto… é treta. Basta verificar o que anda por aí de projecto de decreto-lei. O par pedagógico em EVT numa só disciplina desapareceu (antes do Crato) e não volta, com o beneplácito dos parceiros do governo no poder na actual APEVT que bate palmas a tudo o que seja “holístico” e ; não há qualquer reforço na área da Educação Visual (ou numa História da Arte no Secundário) e acho indecoroso que se dê a entender o contrário. Quanto às Ciências Sociais e Humanas, continua sem qualquer reversão, o corte feito bem antes do Crato.

Quanto à Educação Física, passa a “contar para a média”, mas, curiosamente, sem o escrutínio de um exame nacional como no caso das outras disciplinas da componente geral do Secundário. Ou seja, o “reforço” é mais na base do “fazemos o que queremos, damos a nota que entendemos e os outros que levem os alunos a exame”. Depois do “sucesso” da prova de aferição do 2º ano, esperava mais coragem.

Talvez o miolo da entrevista esteja mais próximo dos factos, mas duvido.

Exp21Abr18Expresso, 21 de Abril de 2018

11 opiniões sobre “O Ministro Tiago A Fazer Spin

  1. Estou de acordo com praticamente tudo o que afirma. Não posso, contudo, deixar de assinalar uma pequena incorreção. A língua estrangeira faz parte da formação geral, conta para a média e não está sujeita a exame nacional. A filosofia conta para a média e, apesar do número crescente de alunos que optam pelo exame, não está necessariamente sujeita a exame.
    Um bom fim de semana.

    Gostar

      1. As bienais da formação específica também não chegam ao 12. Teria então sido mais correto falar das disciplinas da formação geral que vão até ao 12 e não das disciplinas da formação geral.

        Gostar

  2. Língua Estrangeira e Filosofia não estão sujeitas a Exame Nacional. Podias era falar que a Filosofia tem um estatuto especial, que mais nenhuma outra disciplina tem, que é a der ver o seu exame poder substituir outros, como, por exemplo, um das bienais de Ciências e Tecnologias, mas já vi que isso não interessa.

    Portanto, o “fazemos o que queremos, damos a nota que entendemos e os outros que levem os alunos a exame” é, no mínimo, absurdo.

    Fácil, nesse teu raciocínio, era seguir o “fazemos o que queremos, damos a nota que entendemos e, como não conta para a média, estamos felizes da vida, porque não temos mais trabalho, mais preocupações e mais pais ou colegas a reclamarem das notas.”

    Já reparaste que é exactamente o contrário do que afirmas? Que queremos mais responsabilidades, e não menos? Por isso, afina lá isso.

    Já agora: há mais de 25 anos que os Cursos Superiores de Educação Física têm, como pré-requisito, provas físicas. No meu tempo até eram eliminatórias: tenho uma carrada de conhecidos que quiseram ser professores de Educação Física e não conseguiram porque chumbaram nas provas de acesso.

    Se calhar, até neste ponto já andamos, há muito, a fazer o que deveria ser feito por todos.

    Gostar

    1. Ora bem… repito que a Filosofia não tem 3 anos, mas apenas 2 (10º e 11º). Mesmo se não foi sobre isso que escrevi.
      De qualquer modo, a Filosofia é uma disciplina objectivamente desprezada pela ideologia sanitarista que nos invadiu. Como a História no Básico, com as propostas de semestralização…

      Quanto ao Inglês… também só chega ao 11º ano. Não ao 12º.
      Por favor… não baralhem as coisas sem necessidade.
      http://www.dge.mec.pt/matriz-dos-cursos-cientifico-humanisticos

      Maurício, acho que não tens percebido a minha argumentação: em nenhum momento afirmei que a EF quer mais “responsabilidades”. O que tenho dito é que o seu lobby pretende estender o seu poder sobre o currículo. Mantenho isso.

      Se a questão é de “saúde” há muitas outras maneiras, na escola, para a promover sem apropriação do currículo num exercício de poder validado por parte da equipa ministerial.

      Há que ser claro. E eu gosto de o ser de forma frontal.

      Gostar

  3. Já agora, um “reles” professor de educação física, gostaria de perguntar ao senhor doutor Guinote porque não se escandaliza com o facto de duas disciplinas anuais do 12º ano, sem avaliação externa, terem o mesmo peso na média do secundário que as duas disciplinas trienais!!!

    Gostar

    1. Caro Mário Tavares, os termos que usa para provocar fazem com não que valha a pena responder-lhe.
      Quando quiser ter maneiras à mesa, respondo-lhe.
      Como vê, não me incomoda responder ao Maurício.
      A si, vai-me desculpar, mas não, apesar da simplicidade da resposta que pede.

      Gostar

      1. Fui seguidor diário do “umbigo” continuo a ser do “o meu quintal”. Tive o prazer de ler vários comentários/respostas seus a quem verdadeiramente o provocou, insultou e ofendeu. Dou de barato que seja pela putativa provocação que não me responde… mas não me parece.

        Gostar

  4. Acha que é por causa de outra razão?
    Não.
    Vá lá… eu respondo só por causa da memória do Umbigo.

    Essas disciplinas são capazes de ter algo mesmo a ver com os cursos a que os alunos se vão candidatar?
    Certo?
    Das duas trienais… continuo a achar (para desgosto da minha filha) que só o Português é verdadeiramente “transversal”.

    Por exemplo… eu sou antigo, mas para a minha média de acesso à Universidade há 35 anos contaram História e Filosofia (deixava-se a mais baixa de fora, que foi Geografia). Fazia sentido.
    Agora… faria sentido eu ser obrigado a ter EF e ainda ter essa nota a contar para a minha média de acesso para o curso de História?
    É minha opinião, frontal, que não.

    Tenho direito a ela. Até porque não tem qualquer peso ou influência em qualquer decisão. Mas é o que penso.

    Gostar

  5. Já agora… se era leitor diário do Umbigo saberá que para mim não há professores “reles”, mesmo com aspas.

    Podem existir pessoas ou actos assim… mas isso é outra coisa que não passa por aqui.

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.