Aprendizagens Essenciais – A História Contada aos Meninos

Não são tanto as alterações de conteúdos (a Antiguidade Clássica reduzida a um fiapo, a I Guerra Mundial como se fosse uma coisa passageira, entre outras mudanças), mas o discurso a recuperar aquelas coisas do tipo “o grande remorso do homem branco” em passagens como esta:

Reconhecer a submissão violenta de diversos povos e o tráfico de seres humanos como uma realidade da expansão portuguesa; (8º ano)

Ou então aquilo que se apresentam como “Ações Estratégicas de Ensino Orientadas para o Perfil dos Alunos”, invertendo a lógica do perfil como uma ferramenta para a o tornar um Fim em si mesmo ou “O Fim”, submetendo tudo e todos à ideologia de alguns. Podem apanhar-se nacos distribuídos um pouco por todos os documentos em análise, Fico-me por um par de exemplos relativos a História do 9º ano:

Aprendizagens

Aprendizagens1

(estamos entregues à bicharada…)

7 thoughts on “Aprendizagens Essenciais – A História Contada aos Meninos

  1. Na 6ªfeira passada fui a uma ação promovida pela APH sobre as Apredizagens Essenciais. Parece que é ela, APH, que assumiu a paternidade desta coisa. Os relatos que o Miguel (pres. da APH) fez das reuniões com o ME e o “ministro” João Costa mostram se anda completamente às apalpadelas… Quanto ao Miguel focou muito esta questão da escravatura como típica da expansão portuguesa, se bem que ouvi um colega dizer-lhe, e muito bem, que as outras nações europeias comportaram-se exatamente da mesma maneira. Estamos ali a entrar por um território muito pantanoso. Claro que tivemos responsabilidades, mas não podemos reduzir isto a uma questão quase maniqueísta. Algo que me deixou assim um bocado coiso foi a preocupação do Miguel em afirmar por várias vezes que querem lá meter nas AE da História a preocupação com a dignidade dos animais. Honestamente não percebi, julguei que estava numa reunião do PAN.

    Gostar

    1. A escravatura não foi uma criação portuguesa na época dos Descobrimentos.
      Aliás, em muitos casos, os escravos já chegavam assim mesmo para serem trocados na costa africana.
      O que é complicado e mais verdadeiro, provavelmente, é explicar isso.

      A “barbárie” tem muitas e antigas faces.

      Gostar

  2. Agora expliquem-me como se vai enfiar isso nos parcos minutos que vão sobrar da Geografia. Sim ,há muitas escolas em que a Geografia tem, há muito, mais horas que a História. E nas competências essenciais conseguem preencher mais páginas , nem que sejam em branco.

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.