2ª Feira e Provas de Aferição (Boas)

A maioria já se sente em férias, mesmo os que aproveitam para fazer um segundo feriado na semana, faltando alegremente às inconsequentes provas de aferição do 8º ano.

E a “inconsequentes” eu acrescentaria mais alguns adjectivos mas almocei bem. E porque adjectivaria – adivinha-se que de forma depreciativa – eu estas “boas” provas de aferição?

Porque era suposto o seu calendário permitir que, ao longo dos anos, fosse possível “aferir” a progressão do desempenho dos alunos nas áreas/competências/etc nas quais revelassem maiores dificuldades.

Exemplifico: os alunos que fizeram prova de HGP o ano passado deveriam ser aferidos três anos depois, quando chegassem ao 8º ano. E o mesmo seria de supor que se fizesse com o Estudo do Meio do 2º ano em relação ao 5º. Ainda cheguei eu a acreditar que poderia ser feita assim uma aferição minimamente decente.

Mas não. Para o ano, no 8º ano será feita uma prova de História, mas não apanhará os alunos que fizeram a de HGP no 5º ano mas sim os que estavam no 6º ano, o que inviabiliza qualquer tratamento minimamente consequente da informação, já de si questionável, colhida nos RIPA.

Ora… se há momentos de sobreposição relativa de conteúdos é entre uma parte da História do 5º ano e a do 8º (nomeadamente ao nível do período da Expansão Portuguesa/Europeia, exploração do Atlântico e alargamento dos horizontes geográficos da Europa Ocidental. Mas não só… se a prova incluir conteúdos do 7º ano, há diversos que também coincidem parcialmente com os do 5º ano. E poderia ser feita – isto é um tipo realmente idiota a pensar que no IAVÉ pensam nisto – uma análise comparativa do desempenho dos alunos em – pronto! – competências equivalentes, mesmo se com um eventual grau de complexidade maior.

Mas não. Parece que estas provas são mesmo para fazer e deitar fora, pelo menos na perspectiva do trabalho com os alunos numa perspectiva de média duração. Claro que acredito que as “equipas” que fazem terão interesse no “processo”, até acrescentarão algo ao currículo, o IAVÉ justificará em parte a sua existência e a equipa do ME sublinhará que faz provas “boas” de aferição no 5º e 8º anos que substituem as “más” de avaliação do 4º e 6º anos.

(e fazem tudo para que esqueçamos a aberração das do 2º ano…)

Que tudo em boa verdade é uma palhaçada, é algo que à 2ª feira se repara com menor bonomia do que em outros dias, mais próximos de uma pausa qualquer recuperada à austeridade da troika (estão a ver como também sou capaz de inserir críticas à “direita” num post de crítica às políticas de avaliação educacional das “esquerdas”?)

E a modos que é assim. Hoje é dia de prova de Educação Visual do 8º ano que de pouco ou nada serve exactamente seja para o que for.

clown

(a parte mais gira das provas de aferição de agora é aquela meia hora a que os alunos devem chegar à porta das salas antes da prova, sem que exista interrupção nas aulas das salas mais próximas… é só rir…)

6 thoughts on “2ª Feira e Provas de Aferição (Boas)

  1. Concordo com todo o post.
    Só que a palavra – “competências” – …(“aferir” a progressão do desempenho dos alunos nas áreas/competências/etc…) , parte-me todo …. lida ou ouvida !
    Fico todo arrepiado. Longo desgaste profissional ?
    Burnout a atacar ? Ou será apenas embirração ?
    Irei consultar um psicólogo,brevemente.

    Gostar

    1. Professores admitem que a paralisação possa prolongar-se até julho.

      … ” Os sindicatos de professores marcaram hoje greve às reuniões de avaliação do ensino básico e secundário, e também pré-escolar, a partir de 18 de junho, mas admitindo que a paralisação possa prolongar-se até julho.

      Em comunicado, as oito estruturas sindicais que assinaram a declaração de compromisso com o Governo em novembro do ano passado anunciaram ter decidido “marcar greve à atividade de avaliação a partir do dia 18 de junho, com incidência nas reuniões de conselho de turma dos 5.º, 6.º, 7.º, 8.º e 10.º anos de escolaridade, bem como, a partir de 22 de junho, às reuniões da educação pré-escolar e do 1.º ciclo do ensino básico, prevendo que, num primeiro momento, a greve se prolongue até final de junho, podendo continuar em julho”. “…

      Será possível ? Ficar o pré escolar sem avaliação ?

      Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.