Inédito

O Duarte Marques a defender o Mário Nogueira pela primeira vez e eu a concordar com o Duarte Marques também pela primeira vez. E a dizer que votará a ILC. E ele e o João Oliveira, pela primeira vez no prime-time dos comentadores residentes, a desmontarem a argumentação rasteira dos comentadores do PS. Nesse aspecto o João Oliveira foi demolidor

img_8559.jpgIMG_8561

Anúncios

E A Fenprof Adere à ILC (!?)

Viram a luz? Podem assinar, dizerem para o pessoal não ter medo e deixarem-se de tretas?

Sindicatos de professores viram-se de novo para o Parlamento

 

Segundo o líder da Fenprof, há uma maioria de deputados que está “comprometida” com a causa dos docentes em relação à recuperação do tempo de serviço.

stop-the-press

Algum Sindicalismo Perdido no Seu Labirinto

A sério, ando meio chateado porque se antes mal eu abria a boca me falavam logo no Mário Nogueira, agora com aquela barba estamos cada vez mais iguais em quase tudo. Menos no imenso quase que tem a ver com o desnorte da Fenprof em relação à greve do S.TO.P. (que nem sequer têm a dignidade de nomear).

No início desta semana, enquanto o aposentado “zédoboné” de campolide (também designável como vargas das arroteias para a malta que o conhece de pequenino e pouco rabino) andava pelo faceprof a dizer o pior da greve em causa, que era ilegal e que não sei quê – parecia aquele comunicado sobre a ILC a anunciar demónios que afinal lhes serviram à mesa no dia 4 – andavam operacionais a mandar sms e a perguntar nas salas dos professores quem iria aderir, fazendo uma espécie de avaliação à insatisfação não enquadrada por plataformas.

Agora, que percebem que até um micro-sindicato acabado de nascer consegue parar muitas centenas de reuniões ficaram como que sem saber se assim se assado e fazem um esclarecimento que, a bem dizer, ninguém lhes pediu, a menos que tenham percebido que se andaram a meter num buraco quase até ao pescoço com a sua estratégia de denegrir tudo o que não controlam.

Esclarecimento sobre a greve às avaliações

A propósito de algumas dúvidas surgidas sobre a posição da FENPROF e dos seus Sindicatos (SPN, SPRC, SPGL, SPZS, SPM, SPRA e SPE) sobre uma greve que decorre até 15 de junho, esclarece-se:

1.     Não compete à FENPROF ou aos seus Sindicatos reconhecer a legalidade de greves, ainda mais quando são convocadas por outras entidades. Tal reconhecimento cabe exclusivamente ao Estado, através das adequadas instâncias governativas e, eventualmente, dos tribunais;

2.      À FENPROF e aos seus Sindicatos cabe garantir que as greves convocadas a partir de 18 de junho, no continente e Região Autónoma dos Açores, e de 12 de junho, na Região Autónoma da Madeira, respeitam todos os preceitos legais, incluindo a adesão em dias alternados (intermitência), pelo que a participação dos professores e educadores nas greves convocadas pela FENPROF não acarretará qualquer problema de ordem disciplinar.

Lisboa, 7 de junho de 2018

O Secretariado Nacional da FENPROF

em representação das Direções de SPN, SPRC, SPGL, SPZS, SPM, SPRA e SPE

Pizza

Das Catacumbas À Ordem Ou A Absoluta Desorientação Argumentativa

É sempre curioso – embora nem sempre edificante – vermo-nos pelos olhos alheios, quando esticamos a cabecita para fora da toca ou da carapaça. Nos últimos dias tive direito a uma mini-vaga daquelas parvoíces que me fazem sorrir, em especial quando vejo de onde aparecem. Da ala fenprofiana ortodoxa, quando ainda não tinham percebido que até um sindicato desconhecido consegue ter apoio numa greve em cerca de 15% dos agrupamentos do país, uma criatura acusava–me de estar ligado à ILC porque quero mandar numa putativa “Ordem dos Professores”, organização inexistente que tem várias pessoas (incluindo numa Pró-Ordem) a trabalhar para que se concretize, mas entre as quais nunca alguém me encontrou, mesmo se não discordo que exista (dessa forma ou como Conselho Deontológico das Profissões da Educação, por exemplo). Já esta semana, num fórum de uma certa “rede social” com o nome de “Voz Socialista”, estava um tipo a desancar-me por ter regressado das “catacumbas” e ter estado desaparecido nos tempos do Passos, logo eu que dei ao Crato muito menos tempo de benefício da dúvida do que muitas “vozes socialistas” ao ex-recluso 44 do Estabelecimento Prisional de Évora.

O que extraio disto? Que há muita desorientação, seja do lado de um sindicalismo desnorteado por ter ficado à vista de todos que foi enganado durante dois anos e meio e que as suas “demonizações” são cada vez mais ridículas, seja do lado das claques de um partido que não consegue estabelecer um relação saudável com a classe docente e reage de forma disparatada e recuperando alguns dos piores tiques de há uma década para o “combate político”.

Sabem o que é pior no meio disto tudo? É que ou os professores tomam nas suas mãos alguma parcela da definição do seu destino ou ele ficará dependente das negociações entre estas duas partes. 

Eyes

A Flexibilização (e Municipalização) A Grande Vapor E Bem Alimentada em Gaia

A partir do Fbook do Agrupamento de Escolas Gaia Nascente. Achei especialmente curioso o uso da conjunção alternativa.

IX Encontro Anual de Presidentes dos Conselhos Gerais VNG

No passado dia 23 de maio, os cursos profissionais de multimédia, restaurante/bar e cozinha/pastelaria, colaboraram na organização do IX Encontro Anual de Presidentes dos Conselhos Gerais dos Agrupamentos e Escolas Não Agrupadas de Vila Nova de Gaia. Neste Encontro, subordinado ao tema Flexibilização Curricular – Paradigma ou Realidade, contou com a presença de vários convidados entre os quais se destaca o Exmo Sr. Secretário de Estado da Educação, Prof. Dr. João Costa e a Vereadora e Presidente do Conselho Municipal de Educação de V.N.Gaia, Dra. Elisa Cidade.

Olha Eu No Outro Dia

Sei que deixei a Ana Lourenço um pouco desconcertada, mas já nos conhecemos há uns tempos… só que ninguém me dissera que eu ia comentar cambalhotas (altamente estimáveis em outro contexto) e saltos à corda.

(ganda melena… é o que faz só pentearem as senhoras 🙂 )