Caros Herdeiros da “Reitora”, Que Os Factos Nunca Interrompam As Vossas Narrativas – 2

Falácia 2 – “Os professores progridem automaticamente, sem demonstração de mérito, sem avaliação.”

Pode sempre acrescentar-se que também dizem que ganhamos muito.

Mas eu vou ficar logo pelo início que é o conceito de “progressão”. Os professores “progridem” mesmo, em termos reais? Progridem exactamente em quê? Porque eu posso sempre dizer que um esquilo passou a ser um elefante, sem que ele deixe de ser um esquilo, bichinho pelo qual tenho uma especial estima, nem que seja por causa do Tico e Teco a que tantas vezes aludi no passado durante as aulas.

Mas vamos lá, é dia do Senhor, vou-me tentar despachar com o sermão.

Não vale a pena estarmos com rodeios: o que aflige na “progressão” dos professores são os rios de dinheiro que passam a ganhar com ela. Então vamos lá verificar os factos. Há 10 anos eu estava no último ano do 4º escalão da “nova” estrutura da carreira, no índice 218. Em Maio de 2018 cheguei ao 6º escalão (10 anos para passar pelo 5º escalão que tem apenas 2 nos dados que mandam para as comparações da OCDE), índice 245. Comparem-se os recibos e invejem lá a colossal “progressão”.

Recino Maio08ReciboMai18

Apesar do líder da Fenprof ter declarado recentemente ao Jornal Económico que “os salários foram repostos integralmente”, a realidade é muito diferente (só se foi reposto o dele).

Nominalmente, o meu salário aumentou 12,1%, mas passei a receber efectivamente menos 2% do que uma década e dois escalões atrás (mais a inflação que andou perto dos 10% para este período). Já os meus descontos para o IRS/CGA/ADSE (aquilo que certos “privados” acham ser os únicos a pagar) aumentaram mais de 49%. E nem falemos dos indirectos, a começar pelos combustíveis.

A “reversão” dos cortes é uma mentira. A “reposição dos salários” uma enorme treta com chancela nogueirista.

“Progressão”, assim no sentido tradicional de algo que melhora… parece que só os descontos.

Portanto, antes de andarmos a dizer que os professores “progridem automaticamente”, definam-me o que entendem por “progressão” porque podemos estar a falar de coisas muito diferentes. Ou melhor… uns falam do que parece que lhes dizem que devem espalhar por aí, mesmo quando é gente informada, deputada, publicada e opinada, e os outros falam do que é realidade.

Aqui não há abordagens holísticas que consigam ultrapassar os factos.

33 thoughts on “Caros Herdeiros da “Reitora”, Que Os Factos Nunca Interrompam As Vossas Narrativas – 2

  1. O que virá aí… ” Progressão ideal irrealista”

    David Dinis in Público :”Na ala mais moderada, mas também entre a chamada ala mais à esquerda do PS, é já amplamente reconhecido o argumento de que uma progressão em apenas quatro anos é “insustentável” do ponto de vista orçamental, na expressão ouvida esta semana pelo PÚBLICO de uma fonte do núcleo mais político dos socialistas.

    PUB

    Com um problema premente em mãos para resolver (o de como ultrapassar o bloqueio negocial desta semana, a tempo do Orçamento), há quem admita que a sensibilidade do tema faça com que este se arraste até às legislativas, mas entenda que, nesse contexto, o PS não deve fugir a apresentar uma proposta concreta de revisão do estatuto da carreira docente no programa eleitoral para 2019. “Chegará o tempo em que os professores têm de decidir se querem uma progressão na carreira real ou uma progressão ideal que é irrealista”.

    Gostar

  2. WARNING:

    Nessa “gente informada, deputada, publicada e opinada” vem aí muito MINDLESSNESS. Os spin doctors já estão a afiar facas e a acertar agulhas. É o portugalinho no seu melhor. Com o presidente da republica das bananas a mandar bitaites dos states, até o Trump fugiu para a Ásia.

    Só quando isto estiver tudo nas mãos dos chinocas é que a coisa vai ao sítio. Até lá, é um ver se te avias.

    Gostar

  3. Aqueles que alegam que a carreira docente é irreal e insutentável, são os mesmos que se calam e desaparecem de cena quando o Ronaldo das finanças vem dizer que se enterra o dinheiro que for preciso no Novo Banco, sem contar os mais de 23 mil milhões que já se enterraram anteriormente noutros bancos, para manter o sistema financeiro estável. É demais, é revoltante, é de enojar qualquer português, felizmente os portugueses de uma maneira geral, estão informados disto. Quando se vai além das metas definidas por Bruxelas, para parecer bem, para depois arranjar um tacho como o do Vitor Gaspar que agora ganha uns míseros 25000 dólares mensais, dá para fazer tudo. Os banqueiros europeus logo lhe dão o prémio churudo pelo serviço prestado. Mais uma vez chamo a atenção, os portugueses não são assim tão puco informados, eles sabem quem os anda a roubar e para poderem pagar os roubos que outros fizeram, são os funcionários públicos que pagam. Deixem a carreira docente em paz e devolvam os anos que nos tiraram e os milhares de euros que nos roubaram. Em relação aos anos não foram apenas os 942, foram mais! Lembrem-se do que aconteceu na transição entre carreiras há 10 anos.

    Gostar

    1. não é só o vitor gaspar. há mais vitores e outros. e a ganhar muito mais. já cá ganhavam mais quanto mais na europa. temos de ser corretos e não tendenciosos se queremos insinuar alguma coisa.

      Gostar

  4. Há algo que me baralha aqui.
    Ninguém que progrediu ao escalão seguinte a partir de 2018, viu o seu salário “aumentado”. O que viu mudar foi o seu índice de vencimento.
    Ou seja, progrediu-se no escalão da carreira, mas o aumento salarial trazido pelo novo índice não se alterou praticamente nada, pelas razões invocadas no post- aumento de impostos directos e indirectos, que “comeram” o aumento parcial de 25% deste ano, tendo-se verificado um “aumento” de poucos euros, talvez nem isso.
    Todos nós sabemos (alguns colegas, não, pelo que tenho lido) que não houve “reposição integral dos salários” e MN não o pode ter afirmado.
    No entanto, se bem me lembro, foram eliminados os últimos cortes dos vencimentos.

    Agora, quem pensava que iria fazer a diferença o ter sido descongelado nestas condições ou estava/está muito enganado ou distraído.

    Gostar

  5. ‘Os professores progridem automaticamente’

    Tal como está o ECD, as quotas determinam que dois terços dos professores dificilmente passem para além do 4º ou do 6º escalão. Foi obra antiga e que foi ficando. Muito se lutou contra outras coisas; esta parece estar esquecida. Dá jeito a quem está do outro lado, cria divisão. A quem está do lado de cá, o prejuízo de uns nem sequer beneficia os outros; as contas do Paulo, caso ainda subsistissem dúvidas, demonstram-no. É uma divisão criada com o intuito exclusivo de dividir, com todas as vantagens que daí advêm, nenhuma delas para qualquer um de nós. Enquanto não resolvermos como classe lutar contra a ignomínia de uma carreira que deixa, sem dó nem piedade, dois terços dos seus membros para trás, nada seremos. Nem nada conseguiremos.

    Enquanto aceitarmos sacrificar dois terços de nós, nada conseguiremos de que nos possamos orgulhar como classe.

    Gostar

      1. Tem razão, tem a ver com os 25% de aumento. Fiz as contas e bate certo.
        A diferença do 5º para o 6º escalão é de 90,93€, mas foi apenas de 22,76€, o que corresponde a 25%.
        E só será o devido em 1 de Dezembro de 2019! Quase 2 anos para se efectuar a progressão devida.
        Outra coisa estranha: professores no mesmo escalão com vencimentos base diferentes.

        Aproveito para agradecer pelo seu blog.

        Gostar

  6. É, Paulo. Até ao 6º , e agora, 7º escalão, apesar de neste último haver um aumento um pouco maior, a diferença entre os escalões é quase ridícula. Os aumentos substanciais davam-se nos índices 299 e 340 ( actuais 8º e 9º escalões). Estive a ver o ” Eixo de Mal”. A Clara Ferreira Alves nem queria falar desse assunto menor que são os professores. Estava enfastiada coma pergunta. O Daniel Oliveira falou, mas acertou ao lado.
    Acho que, e depois das eleições) vamos ter coisa coisa como ” Os titulares” de qualquer coisa. Um travão quase definitivo no 6º escalão, com umas saídas, para compor o cenário. A questão é que agora todos, sem excepção, acham que ficamos muito caros. Vão deixar isto em banho maria, são capazes de acenar com uma cenoura qualquer, mas sem estarem dispostos a cumprir. Não acredito que isto melhore. Acho que é mesmo para piorar e que a carreira vai ter alterações muito significativas. Ficaremos num compasso de espera: maltratados, mal-amados, e mal pagos até à reforma. Não é um discurso pessimista. Acho que é isto mesmo.

    Gostar

  7. É inacreditável ! Parabéns ao Paulo , não são necessárias palavras. Parabéns até pela sua disponibilidade em revelar as suas folhas de vencimento. É uma vergonha !!!!!! Uma tristeza e um roubo !!!

    Gostar

  8. Não percebo como é que com as carreiras congeladas passou do 4º para o 6º. Doutor? Eu há 14 anos que me mantenho no 245 – 1600 em 2004, 1400 em 2018.

    Gostar

    1. Em 2010 foi possível “progredir” na carreira. Quem reunia as condições previstas nos estatutos subiu de escalão nesse ano.
      A questão da progressão salarial, a nível do valor líquido auferido, é semelhante para todas as carreiras. Os valores dos impostos são semelhantes para todos os profissionais, independentemente da sua carreira. A situação demonstrada pelo colega com os seus recibos é a mesma para todos os trabalhadores.
      N. B.: Este comentário não tem como intuito tirar valor ao defendido pelo post, nem pretende, de forma alguma, defender ou atacar posição alguma, apenas serve como resposta à questão sobre a subida de escalão entre 2004 (em rigor, o congelamento das carreiras começou, para a carreira docente, em agosto de 2005) e 2018.

      Gostar

    2. Provavelmente porque não se lembra que existiu descongelamento entre 2008 e 2010 e que quem estivesse perto do fim do 4º escalão e passasse ao 5º que tem apenas 2 anos ficaria nessas condições. Aliás, seria possível ter passado do 4º para o 6º durante esses 3 anos por causa do 5º escalão (índice 235), inventado para atrasar a progressão anterior, ter 2 anos.

      Isso não era possível com os escalões de 4 anos.

      Basta não esquecermos por completo os factos.
      E às vezes custa-me que sejamos os primeiros a tropeçar neles, tornando-nos incapazes de defender as nossas posições perante as “pós-verdades”.
      O “doutor” não tem nada a ver com o assunto e, pelo contrário, aplicaram-me a legislação de uma forma manhosa da qual nem reclamei.

      Gostar

    3. O Doutor Paulo Guinote passou do 4° para o 5° escalão. Não terá tido necessidade de ter ficado sujeito a cotas porque na sua avaliação deve ter a classificação de ” Muito bom ou Excelente “!

      Gostar

      1. Errado, Ana Margarida. Tive avaliação de “Bom” nesse período. Deve é estar baralhada com as quotas introduzidas posteriormente. No ECD de 2007 (revisto em 2012) o que existia era a barreira dos “titulares”. Percebo, nem toda a gente já se lembra de tudo, mas cansa ter de estar sempre a explicar como foi. Certo?

        Gostar

  9. Percebo Paulo.
    Percebo e fico fulo.
    Mas há dez anos estava a um ano de passar para o 8º escalão em nove.
    Hoje estou no 4º escalão, isto é, com o índice que o Paulo tinha há 10 anos atrás.
    E esta, hein?

    Gostar

  10. ponham aqui os vencimentos de outras profissões. de certeza que são muito inferiores. e não se queixam pois o patrão não é o estado. vamos tentar igualar os salários e não aumentar a diferença. não brinquem com os trabalhadores.

    Gostar

    1. santos,
      porque não aproveita e publicita o SEU recibo?
      deixe o link para podermos confirmar

      E para podermos comparar, informe-nos:
      Tem licenciatura? mestrado? doutoramento? – É que para se ser professor tem de ter no mínimo licenciatura …
      Há quantos anos “trabalha”?
      Qual o SEU vencimento ilíquido?
      Qual o valor dos seus descontos?

      santos,
      acha mesmo que os professores estão a brincar?!

      Gostar

    2. Santos….. Aproveite e diga quanto ganha “por fora” e também quais as regalias que tem extras: carro, computador, telefone, etc….. Diga também em quantas empresas trabalha sem ir a tribunal por isso! Sejamos verdadeiros!

      Gostar

      1. Pois é! Também gostava de ver a folha de vencimento desse senhor! É muito bom criticar e depois ficar caladinho como um rato…
        Por que razão somos uma classe tão invejada?! Como se ganhássemos rios de dinheiro… Trabalho há 18 anos e subi agora para o 2.º escalão. Nunca na vida chegarei ao topo da carreira! E a última avaliação que tive, num ano em que trabalhei mais do que devia (com cargos em órgãos do agrupamento, coordenação de grupos de trabalho para elaboração de documentos, etc) foi Bom! Merecia mais? Acho que sim! Reclamei?! Não! Já sei, fui burra! Mas não me venham dizer que os professores não são avaliados e que a progressão é um privilégio só para alguns!!! Não há aumentos no privado? Acho que é a mesma coisa… E o trabalho (horas extra que fazemos) que levamos para casa? Quantas profissões o fazem? Disso também não é importante falar! Enfim!
        Eu que gosto tanto de dar aulas, confesso que começo a ficar farta de tanto comentário ignorante! Se tivesse um professor na família, não o faria dessa forma, tenho a certeza! Informem-se antes de falarem de coisas que não sabem!

        Gostar

  11. Sem denegrir a luta dos professores, recebe o mesmo que eu que trabalho como técnica superior há 29 anos e só vou progredir, com sorte, dentro de 3 anos, apesar de ter atingido os 10 pontos em 2017 (pois somos classificados de 2 em 2 anos e quem prefaz os 10 em ano ímpar só progride de 13 (com sorte) em 13..
    Por acaso vejo que ganha de subsídio de almoço mais do que eu… enfim
    Qualquer funcionário público em 10 anos viu diminuir o salário líquido.
    Repito: Sem denegrir a luta dos professores

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.