Momento de Poesia

I want my money back
I’m down here drowning in your fat
You got me on my knees
Praying for everything you lack
I ain’t afraid of you
I’m just a victim of your fears
You cower in your tower
Praying that I’ll disappear
I got another plan
One that requires me to stand
On the stage or in the street
Don’t need no microphone or beat
And when you hear this song
If you ain’t dead sing along
Bang and strum to these here drums
Till you get where you belong

I got a list of demands
Written on the palm of my hands
I ball my fist, you’re gonna
Know where I stand
I’m living hand to mouth
You wanna be somebody? See somebody?
Try and free somebody?

Agora Imaginem…

… que nas alegações finais de um julgamento, o advogado de defesa se vira para o juiz e declara que concorda com a tese do advogado de acusação e que devem condenar o seu cliente à pena máxima. Foi o que se passou hoje.

dog_sim

 

Não É Recíproco!

Foi este o elogio fúnebre da greve dos professores? O beijo da morte?

Última palavra para os Professores. É um orgulho fazer parte deste grupo, uma honra ser porta-voz dos anseios legítimos da esmagadora maioria. É um privilégio poder participar tão ativamente na luta. Continuemos unidos porque, assim, somos ainda mais fortes.

malandro

(vão-me dizer que é normal o “árbitro” nomeado para defender a posição dos sindicatos ter votado contra essa posição? e que foi “surpresa”?)

Como Funciona Um Tribunal Arbitral?

Porque os nogueiritas&vargas já andam por aí a produzir desinformação sobre o facto do seu nomeado ser um “juiz” independente e não alguém nomeado para defender a posição de uma das partes.

Decreto Regulamentar nº 14/2003 de 30-06-2003


ANEXO

CAPÍTULO VI – Resolução de conflitos

(…)

Artigo 94.º – Constituição e funcionamento do tribunal arbitral

(…)

       1 — O tribunal arbitral é composto por três membros, um nomeado por cada uma das partes e o terceiro escolhido de comum acordo pelos árbitros que as partes tiverem nomeado.
2 — A parte que decida submeter o litígio ao tribunal arbitral apresenta os seus fundamentos para a referida submissão e designa de imediato o árbitro da sua nomeação no requerimento de constituição do tribunal arbitral, a dirigir à outra parte através de carta registada, com aviso de recepção, e esta, no prazo de 30 dias a contar da recepção daquele requerimento, designa o seu árbitro e deduz a sua defesa. 
3 — Os árbitros designados nos termos do número anterior designam o terceiro árbitro no prazo de 20 dias a contar da designação do árbitro nomeado pela parte reclamada, sendo esta designação efectuada de acordo com as regras aplicáveis do Regulamento do Tribunal Arbitral do Centro de Arbitragem da Câmara de Comércio e Indústria Portuguesa/Associação Comercial de Lisboa, caso a mesma não ocorra dentro deste prazo.

O “árbitro” nomeado pela “segunda” parte, neste caso, tinha como missão deduzir a defesa da posição dos sindicatos.

Poizé! Viu-se…

A menos que…

Tenha cumprido a sua missão.

Frade