59 thoughts on “O Comunicado Do ME Sobre Os Serviços Mínimos

  1. “Apesar desta oposição dos sindicatos, o seu representante no colégio arbitral acabou por votar também a favor dos serviços mínimos. ” Público

    Gostar

      1. Já está no 340; lá contribuiu para o fundo de greve. Empurrado, mas lá fez o seu papel; teve tempo de antena q.b; pôs o PC afastado da ILC . Como não há-de estar feliz? Está na hora de ir de férias, que se faz tarde. Mais umas pizzas e tal; umas migalhas para calar a zecaria. Correm-se as cortinas. The show is off now: The show must go on. Quando der jeito. Quando dermos jeito.

        Gostar

      2. A FNE/Fenprof nunca tiveram intenção que houvesse greve às avaliações nos 9º, 11º e 12º, não sendo por acaso que só convocaram a partir do dia 18. Na minha opinião, consideravam politicamente desvantajoso essa greve, não querendo criar uma crise grave que obrigasse os partidos de apoio parlamentar a tomar uma posição mais concordante com o governo e discordante com os docentes. Foi um sindicato rebelde que estragou a estratégia politica desses sindicatos e obrigou o governo a uma posição de força bruta.

        Gostar

    1. “Os carneiros e ovelhas todos em fila, caminhando para o matadouro.
      Pq será que estou a ter esta visão?”

      Deve ser por se lembrar dos comentários libidinosos proferidos por Cavaco Silva sobre as vacas dos Açores, caminhando alegres e felizes umas após as outras para a ordenha mecânica.

      Gostar

  2. Paulo, entregaram-nos, uma vez mais, de bandeja. Entrei nesta greve por convicção, nunca pelos sindicatos. No entanto, infelizmente, são eles que encabeçam estas lutas e entregam-nos. Vergonha, uma vergonha. «Por unanimidade». Está escrito! Quero ver o que vão dizer, se é que dizem. Mais do mesmo.

    Gostar

  3. Mais… vão entreter-nos com as greves aos 5° 6° 7° 8° e 10° anos, que para o ME tanto lhe faz… um dia as notas irão aparecer.

    Os profs irão ficar muito felizes pq foram uns durões que até realizaram esta greve inconsequente promovida pela fne , fenprof e amigos.

    Gostar

  4. Qual será o próximo passo para os professores? Desistir, ou ir para a greve que faz mais mossa? Será que conseguem obrigar mais de cem mil professores e educadores a ensinar os seus alunos?
    Sei que a nossa função é essa, mas se nos tiram todas as formas de lutar pelos nossos direitos, que opção nos deixam?
    Desistir ou lutar com a única arma que nos resta. Os alunos que nos desculpem, mas esta gente não pode continuar a gozar com o nosso trabalho e suor!

    Gostar

    1. “Será que conseguem obrigar mais de cem mil professores e educadores a ensinar os seus alunos?”

      Não sei o que lhe responda, sinceramente…..
      Há limites para a indigência.

      Gostar

      1. Eu disse e assumo! que mais podemos fazer? Continuar a fazer estas greves? Andamos aqui todos a ser enganados, a contibuir com o nosso tempo e dinheiro para o orçamento do estado e você vem com essa admiração!! Diga lá qual a sua sugestão para a continuação da luta? Greves ao domingo?? só pode! Os sindicatos acabaram de dar mais um tiro na sua credibilidade e vamos ver se não chegaremos à greve de zelo. Ainda não chegaram os resultados dos exames do 12º ano, aí sim os professores vão ser responsabilizados, ofendidos e denegridos por todos.

        Gostar

      2. “Eu disse e assumo! que mais podemos fazer? Continuar a fazer estas greves? ”

        Pergunta retórica – você já tem vindo a responder: estar na aula e não ensinar, assim a modos que uma greve de “zelo”.

        Gostar

  5. Até agora o que li foi um “comunicado do ME”. Já vejo aqui vozes a saltar de greves, porventura dos mais vociferantes quando foi para entrar nelas – eu entrei logo na primeira hora na greve decretada pelo STOP e não me arrependo – a carpir mágoas, a insultar os sindicatos. Resta a ILC? Só a ILC? Não conhecem a posição do PS e do PSD e também a dos outros partidos? Quando a coisa começa a aquecer falta gente que aguente e saiba levar o barco. A maior parte dos comentaristas que leio aqui não podem ser professores. comportam-se como infiltrados e provocadores.

    Gostar

    1. Caro Henrique,

      Eu não tenho grandes peneiras quanto à ILC. Até porque o PS e PCP já declararam que estão contra. Mas, se lá chegar, terão de votar contra os professores e assumir isso.

      Quanto a insultar os sindicatos?
      Sempre que se justifica,
      Qual o problema?

      Gostar

  6. Não vejo razão para espanto. O MN já tinha “sugerido” esta solução nas suas declarações após a primeira reunião relativa aos serviços mínimos.
    Nunca esteve no horizonte desta frente sindical a greve às avaliações dos anos sujeitos a exame. Isso foi coisa dos radicais, que não existem ou cuja greve não existiu. A juntar a estes, as iniciativas dos inorgânicos que como se sabe só pretendem prejudicar a defesa do interesse dos professores.

    Gostar

  7. E se todos os sindicalizados abandonassem, agora, os sindicatos de Fne e Fenprof? Vale a pena iniciar um movimento nesse sentido. Professores não pagam a traidores!

    Gostar

    1. “E se todos os sindicalizados abandonassem, agora, os sindicatos de Fne e Fenprof? Vale a pena iniciar um movimento nesse sentido.”

      Eu até ia mais longe e acabava com todos os sindicatos.

      Ficavam as organizações patronais e a gente escolhia e aderia.

      Gostar

      1. F: não íamos notar qualquer diferença. Para a merda que fenprof e FNE têm feito, mais valia nem existirem. Cambada de chulos!

        Gostar

  8. A greve que estava a fazer mossa era a greve aos CT dos anos com exame, decretada unicamente pelo STOP.

    E agora eu pergunto…para que serve a greve aos CT dos anos sem exame?

    E para que servem a fenprof e a fne?

    Que desilusão!

    Gostar

    1. Sabe, Paula, para haver desilusão, primeiro tem que haver ilusão. Já há muito que não tenho quaisquer ilusões sobre as “fenprofs” e “fnes” desta vida!!! Basta lembrar o que aconteceu em 2013!!! Por isso mesmo já não sou sindicalizado há muito tempo. Já era tempo de todos os professores “abrirem os olhos” e deixarem de pagar a quem os trai sistematicamente, em nome de “coreografias” impostas por partidos políticos, as quais não têm (nem nunca tiveram) como objetivo defender os interesses dos professores, falo dos “verdadeiros” professores, os que trabalham diariamente com os seus alunos em sala de aula!!!

      Gostar

      1. Subscrevo na totalidade o seu comentário.
        Também nunca tive ilusões acerca destes comissários políticos que se dizem professores só quando lhes dá jeito. Por mim, que vão todos apanhar na pandeireta, Fenprof e FNE e escumalha afim.

        Gostar

      2. Quer acabar com a ilusão/desilusão?
        Quer?
        Sim?
        Continue a votar Centrão.
        A caminho, inscreva-se numa CIP ou CAP perto de si.

        Gostar

  9. Eu também já não sou sindicalizada há muito tempo, e se ainda fosse, era até hoje! De qualquer modo pensei que depois do dia 18 estaríamos a remar todos para o mesmo lado!

    Gostar

  10. Em suma, acabou-se a greve, certo? Assim entendo melhor alguns e-mail que recebi esta tarde e na verdade já se sabia que ia haver acordo no Mário Nogueira e FNE. As pessoas marcaram férias, estão preocupadas com as casas arrendadas no Algarve e a vida não está para estas coisas de desperdiçar dinheiro e tempo. Os papéis já estão feitos, ou quase. Na maioria, ninguém lhes liga nada. Continuo a dizer que as actas são assinadas no início, mal as a pessoas se sentam. Tenho pesadelos com esse tipo de coisas mas também, o diagnóstico permite-o. E felizmente, é favorável e não prejudica absolutamente nada e muito menos a parte em que rabisco o meu nome num papel. Força. Mais uma vez, desta com muito menor intensidade, se revela a bla bla bla Bj

    Gostar

      1. Mirtilos, Paulo. Poderosos antioxidantes e fotogénicos. Mesmo de telemóvel! Eu não percebo nada de política nem de uma data de coisas. Tenho é a sorte de ter família como deve ser, amigos e amigas idem. Somos uns 5 ou seis neste bolo, Faísca pelo meio. A tua gata, o gato lá de Santa Comba, são os conselheiros. Enfim, deixa lá. De facto, não percebo nada disto. Mas tem horas … Neste teu blogue, não estou ao serviço 😉

        Gostar

  11. Para mim acabou a greve! Depois de ter feito greve, deixar de a fazer é pata mim o melhor protesto contra esta gente que nos vende por um prato de pizzas. O que devia haver era uma grande manifestação à revelia dos sindicatos da treta para dar força à ILC.

    Gostar

  12. Agora mais a sério: li estes comentários todos e o espanto foi crescendo. O que aqui se escreveu consegue ser igual ou pior do que os comentários de jornais e em redes sociais. Tanta desilusão, tanto carpir, tanto choro, tanto ai (!), tanta provocação, tanto proto fascismo camuflado, tanta falta de auto-estima, tanto pedido de ajuda e de conselhos.

    Há limites para a ignorância, infantilidade e ingenuidade.

    Vamos lá todos reler o espantoso “OF Mice and Men”
    Em alternativa, que se vá a Fátima acender uma vela e que Ela nos proteja!

    Ámen.

    Gostar

  13. No meio disto tudo fico com uma dúvida: afinal quem decretou os serviços mínimos?

    Foram os sindicatos ou foi o colégio arbitral?

    Os sindicatos não foram.

    Foi o colégio arbitral, certo?

    Então, um grande “Morte aos traidores!”

    E agora vou ver outro tipo de ficção para relaxar. A. C. Clark bem que dizia que a realidade ultrapassaria a ficção.

    Gostar

  14. Estás a ver porque te comparou o Miguel Sousa Tavares ao Papa dos Professores? É claro que está enganado, porque a maioria dos professores não se revê no Mário Nogueira e quem sabe por isso falou hoje o chefe do da FNE. Seja como for, tens aqui a brigada e recebeste a menção de honra. Sabes, amigo, deveríamos estar caladinhos e pensar em praia e nas nossas coisas (sim, cuscos e cuscas). Mas é sempre assim. Sabe bem dizer isto e saber que em seguida vou pagar o preço mas também, pagaria na mesma. Que a vida é no dia a dia e quem é assim por aqui, também o é com o sol pela frente. Acho que com a greve a acabar e mais uma do Nogueira e companhia, vamos ter mais umas migalhas. Daqui a uns tempos, mais alguma coisa que fazer. Nada que nos surpreenda. E faz de conta que te estou a escrever uma carta … é giro. Bjinhos!

    Gostar

  15. Irei enviar e-mail ao meu sindicato, solicitando esclarecimento sobre quem foi o representante dos sindicatos e a que sindicato é afecto.
    Se for ao meu, é simples, entregar o cartão com cartinha escrita.
    E, obviamente, enviar aos meus contactos.

    Já se percebeu que muitos ficaram assustados com o nascimento de um novo sindicato “não-domado” e com cidadãos a mexerem-se e a participarem activamente para limpar o profundo mar de esterco a que nos querem condenar.

    Gostar

  16. Com esta decisão de serviços mínimos para as reuniões dos anos de exame o STOP deve declarar de imediato o fim da greve às reuniões de avaliação de TODOS os anos, antes de qualquer outro sindicato.Só dessa forma se verá a que greve/sindicato os professores aderiram. A presente decisão não foi só contra os professores mas também contra o sindicato não alinhado.

    E deve-se começar pensar seriamente numa qualquer forma eficaz e inteligente de greve de zelo, bem como na hipótese de maximizar a avaliação a cada aluno desde o início do próximo ano. Os professores, esgotados e espoliados de 25% do tempo da sua carreira, não têm horário que possibilite realizar outro tipo de avaliação.

    Gostar

  17. Vamos lá pensar em conjunto: de acordo com o comunicado “Quanto aos meios necessários para assegurar os serviços mínimos, o Colégio Arbitral decidiu que o quórum deliberativo corresponde à maioria absoluta (metade mais um) da totalidade dos docentes que constituem cada um dos conselhos de turma.” Não vos parece melhor que a nota informativa em que seriam precisos dois terços mais um, para não haver quórum? Assim o quórum, de acordo com o comunicado, é apenas de 50+1! Se nos tivessem obrigado a cumprir a norma estávamos disponíveis para fazer greve, todos se necessário, faltando em maior número. Então, agora, é continuar e apenas nestes anos-9º, 11º e 12º. O que estou a ver mal?

    Gostar

  18. A Fenprof explica-se:::

    “Importa esclarecer, ainda, que os árbitros que constituem o colégio arbitral são sorteados entre três grupos de juristas: um grupo de árbitros presidentes, um grupo de árbitros representantes dos empregadores públicos e um grupo de árbitros representantes dos trabalhadores, designado pelas Confederações Sindicais. Neste último grupo, inclui-se uma jurista que trabalha com a FENPROF e que, precisamente por a FENPROF ser uma das partes interessadas neste processo, apresentou declaração de impedimento e não foi sequer incluída no grupo dos árbitros a sortear.”

    Então e o representante do governo não apresentou declaração de impedimento por ser uma das partes interessadas?

    Impedimento para defender os interesses dos associados?

    O que é que me está a escapar?

    Gostar

  19. Estive a reler tudo e estava mesmo a pensar mal….a reunião tem de se fazer mesmo, com 50 mais 1.Só tenho uma dúvida: como são escolhidos os que vão?

    Gostar

      1. Neste momento, não há nada porque não ir, ou estou a ver mal? O Paulo, fará bem e espero que sim, tenha ido descansar. Eu é que não percebo nada disto …. . Mas tb já vi que não dá muita confiança e portanto, amanhã, logo se vê. Ansiedade, é estupidez. À Qual acho piada.

        Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.