5ª Feira

Entre o marasmo da rotina e as excitações epidérmicas, instala-se o tédio.

Aplauso

Anúncios

27 thoughts on “5ª Feira

  1. O mínimo que se exige é ver a ata da reunião. Palavras leva-as o vento. Quero ver os termos da ata. Agora vão fazer as contas? Então, desde outubro de 2016, quase 10 meses (!) andaram a fazer exactamente o quê? Começaram a negociar sem terem feito contas? O Básico? Qualquer taberna de merceeiro sabe que não faz planos nem negoceia nada sem saber de antemão os números. Paspalhos. Acham que os professores são todos parvos?

  2. O mínimo que se exige é ver a ata da reunião. Palavras leva-as o vento. Quero ver os termos da ata. Agora vão fazer as contas? Então, desde outubro de 2017, quase 10 meses (!) andaram a fazer exactamente o quê? Começaram a negociar sem terem feito contas? O Básico? Qualquer taberna de merceeiro sabe que não faz planos nem negoceia nada sem saber de antemão os números. Paspalhos. Acham que os professores são todos parvos?

  3. Por aqui está muito animado. Adoro tudo. Fui avaliada! Pelos mínimos do possível para não dar mais nas vistas 😴. Greves a descontar por inteiro porque cada uma em seu dia … convocatórias na véspera e desmarcadas ‘coisas’ em cima da hora, tudo por e-mail. É maravilhoso. Estou feliz porque a vida é de facto bela. Vivam os cursos por nomeação e as teses de valor e recolhido mérito. Nada como uns animais mortos em cima dos ombros e outros no cérebro. Bjinhos

  4. “Em nome da luta que, oficialmente, ainda continua, vou-me abster por agora de mais considerações. Para as reflexões importantes que a seu tempo teremos de fazer, ficam apenas duas pistas:

    quando elevam a fasquia das suas lutas, os professores têm de contar, antes de mais nada e acima de tudo, consigo próprios e com os sacrifícios que um grupo numeroso esteja disposto a fazer;
    qualquer luta social ou laboral que não tenha em conta o contexto político, económico e social em que se desenrola, nem consiga captar os aliados, naturais ou circunstanciais, que poderá ter ao seu lado, estará, quase seguramente, condenada ao fracasso.”

    https://escolapt.wordpress.com/2018/07/12/negociacoes-de-11-07-a-posicao-do-governo/comment-page-1/#comment-6605

    1. Eu gosto dessa análise F, porque demonstra que uma parte desse grupo numeroso pensa que é possível obter coisas valiosas e nobres sem fazer sacrifícios consideráveis.

      Se fôssem miúdos, diríamos que são mimados. Quando é gente crescida, diz-se o quê?

      1. Alice, eu chamo cobardolas a quem vem para aqui mandar bocas sem dizer quem é. E fiz greve e não em arrependo de a ter feito. Nem era bem essa a questão … Pelo menos a mais importante. Mas há sempre aquela malta atenta, gente sem nenhuma integridade e cheia de truques que na vida real não engana ninguém a não ser os seus compadres de jogo.

      2. Esta análise não é minha, Alice.

        É do nosso colega António Duarte, no link que deixei.

        Ainda bem que concorda com ela.
        Já somos 2.

        Quanto à sua última frase, achei uma imensa piada pois foi o que acabei de referir no comentário anterior.

    2. É a luta do vou de férias … Em Outubro fazemos uma caminhada lá para o dia 4 ou 5 e depois se verá se sacrificamos mais um carneiro ou dois. Sem problema nenhum, faz bem à saúde e até dá jeito de vez em quando. Mais vale um sacrifício nome da causa do que em nome próprio, tipo atestado ou coisa assim, ou aparecer muito mal disposto ou então, fazer como outros e assinar depois ou antes e poupamos todos, menos quem lucra com estas greves, o estado (cof cof) e aqueles sádicos com poder em lata que adoram dizer:marca-lhe o dia todo que ela não teve serviço marcado 😉
      Ai que bom ser livre!

  5. “Entre o marasmo da rotina e as excitações epidérmicas, instala-se o tédio.”

    É o que pode acontecer e é o que fui lendo nos comentários aos post anteriores.

    Vai-se do êxtase ao desânimo e ao carpir num instante tal criança que abre a prenda de Natal e , em vez de um telemóvel de última geração, lhe sai um livro.

    Entra-se , mais uma vez, no sempre fácil e cómodo aconchegamento do eu, tal criança que, não marcando golos, leva a bola para casa e joga sózinho.

    E vem o tédio. Acontece isto, especialmente nas crianças e adolescentes. Muito se tem escrito sobre isto.

    Não é suposto acontecer em adultos.

    E não devia ser suposto falhar-se o alvo.

    1. F. ainda bem que encontrou um Guru ao nível. Espero que lhe corra bem a si e às suas/seus outr@s. É complexo, o ser-Humano … essa questão da adultez, como se diz hoje em dia. Refiro-me ao termo. E ao conceito. Num desses seus alter-egos ou ‘assins’ um lhe dirá: alice, filha, devias ter ido para Médica. E para homem. Ter sido outra coisa ou outras que não tu. Já viu bem esta imaginação toda num adulto? Não é normal … Pois não é, para si.
      Para mim, anormal é o Mário Nogueira dizer esta manhã que o que o Ministro disse em Comunicado não é para ser levado a sério … E que estava contente. Coisas assim, considero perfeitamente anormais.
      Os Professores, foram impecáveis! E hoje de manhã vi alguns muito desgostados por outros. eu, quero que se lixe o meu caso, que estou óptima. Já passei muito, saberá bem disso, numa das suas múltiplas identidades e colectividades ou que for … Vocês sabem.
      Valeu bem a pena, mais uma lição que vocês aprenderam mas que saiu do corpo de malta assim, mimada, esquisita, gira 😉

      Estou mais preocupada com o anormal do Trump e a Nato. E parece que o Costa está a reagir minimamente bem, apesar de não poder fazer grande coisa pois bem bem era sairmos da Nato, isso sim.

      1. Acredito. Aproveito para explicar que as convocatórias de véspera não eram para as reuniões de avaliação, pois isso sim, assim foi por este tempo todo e muito bem e dou os parabéns a quem teve a capacidade de fazer a escala das mesmas sem ninguém se zangar. Referia-me a outras, como a de hoje e tal, mais betas, para análise de Decretos, muito importantes.
        Lado a lado, já viste o mail? Cotovelada, quase isso. De quem enviou o ‘mail’. Resposta: Não: Diz lá o que escreveste. Ar espantado ao lado mas resposta recebida.
        Por estes dias os subalternos confundem algumas coisas … Outros, são desafiantes porque sabem que estão na porta de saída e que não podem ser mais maltratados.
        As pessoas verdadeiramente mimadas não são as que se comportam assim, nem em criança. A qual/ais me refiro? O Guru saberá.
        Eu também não entendo … Nem quero. E paga-se o desabafo tal como a greve mas faz-se por opção e a isso chama-se liberdade.

      2. Parece que o Costa aceitou os 2%. Percebi mal, afinal era apenas contra fugas de informação que refilava. De um evento destes.
        Então, birra por birra, o Trump é mesmo o maior, sem dúvidas. Sem estradas, sem crescimento, sem educação, sem saúde, com Trump. Tsst Tzzt. E o ministro Tiago adora Robots e Educação à distância. Inclusão assim, é da melhor. Para adultos e crianças. Basta ter net. Enfim … É muito bom mesmo. Os sindicatos são o menor dos nossos males …

  6. Continuo atento à “mitigação dos efeitos do congelamento”. Sempre estive. O resto soa-me a manifestação de estados de alma.

  7. Greve sem pais à toa por não terem onde largar os filhos? Não funciona.
    Avaliações? Nada. Conta o pedigree, o resto é folclore.
    Sindicatos? Desde “Há Lodo no Cais” …
    Ministros? São recrutados no OLX.
    Professores? Dinossauros.
    Podíamos continuar no jogo de associação de ideias mas o psi foi-se embora deprimido.
    Deixou os cartões do Rorschach em cima da mesa. Vendo bem, não distingo se é uma barba mediterrânica ou uma franja alaranjada da Escócia.
    Estou na dúvida se Heydi comprar uns S400, uns F16 em puzzle que nunca sairão do caixote, ou invisto numa capela à Virgem de Fátima.
    O que vale é que o Verão passa de raspão (ou de roupão?) e nem é preciso férias.
    Já eram doidos, mas desde que ficaram todos senis …

  8. juro que leio estes comentários e só percebo 10%. estou a ficar totó…vou ali tomar um chá e bater com a cabeça, mais um bocadinho, na parede…

    1. Magalhães, que ninguém se aleije por causa destas coisas da conversa, que é quase como as cerejas. Salvaguardo desde já que ter cerejas em ano assim é obra de gente rara … mas isso é para outros cantos. Então, vou mas é buscar os ‘olhinhos’. Deve ser o Pai Natal que baralha aqui as coisas. E o Guinote, claro :))) Abraço virtual, gosto de si.

      1. Margarida,

        Muito boa troca !!! Ficam-lhe muito bem !!!
        E de “olhinhos ” bem atentos ainda acreditamos menos no Pai Natal.Lamento não conseguir acreditar mais …mas é feitio, burrice, teimosia, menor ingenuidade e querer “ver” o evidente. Há quem prefira andar sempre com óculos de sol ….😎 . Talvez tb “não gostarem de dar o braço a torcer” e preferirem não ver e perceber o que se passa.
        Um beijinho virtual também para si.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.