18 thoughts on “Um Parcela de Felicidade É…

    1. Para os guardar basta um pastor…sempre é uma forma de reabilitar profissões em desuso…se não houver dinheiro para pagar ao pastor, um cão faz o serviço com eficiência e basta pagar em género sem quaisquer outras despesas…

      Gostar

  1. Diário da República, 1.ª série — N.º 149 — 3 de agosto de 2018

    Portaria n.º 223-A/2018:

    Artigo 35.º
    Conselhos de avaliação
    5 — O funcionamento dos conselhos de docentes e de
    turma obedece ao previsto no Código do Procedimento
    Administrativo.

    Gostar

  2. Diário da República, 1.ª série — N.º 149 — 3 de agosto de 2018

    Portaria n.º 223-A/2018

    Artigo 35.º
    Conselhos de avaliação
    1 — O conselho de docentes e o conselho de turma, para
    efeitos de avaliação dos alunos, são constituídos, respetivamente,
    no 1.º ciclo, pelos professores titulares de turma
    e, nos 2.º e 3.º ciclos, pelos professores da turma.
    2 — Tendo em consideração a dimensão do agrupamento
    de escolas e das escolas não agrupadas, podem os
    órgãos competentes definir critérios para a constituição
    do conselho de docentes, nos termos do respetivo regulamento
    interno.
    3 — O conselho de docentes emite parecer sobre a
    avaliação dos alunos apresentada pelo professor titular
    de turma.
    Diário da República, 1.ª série — N.º 149 — 3 de agosto de 2018 3790-(13)
    4 — Compete ao conselho de turma:
    a) Apreciar a proposta de classificação apresentada por
    cada professor, tendo em conta as informações que a suportam
    e a situação global do aluno;
    b) Deliberar sobre a classificação final a atribuir em
    cada disciplina.
    5 — O funcionamento dos conselhos de docentes e de
    turma obedece ao previsto no Código do Procedimento
    Administrativo.
    6 — Quando a reunião não se puder realizar, por falta
    de quórum ou por indisponibilidade de elementos de avaliação,
    deve ser convocada nova reunião, no prazo máximo
    de 48 horas, para a qual cada um dos docentes deve previamente
    disponibilizar, ao diretor da escola, os elementos
    de avaliação de cada aluno.
    7 — Nas situações previstas no número anterior, o coordenador
    do conselho de docentes, no 1.º ciclo, e o diretor
    de turma, nos 2.º e 3.º ciclos, ou quem os substitua, apresentam
    aos respetivos conselhos os elementos de avaliação
    previamente disponibilizados.
    8 — O parecer e as deliberações das reuniões dos conselhos
    de avaliação devem resultar do consenso dos professores
    que as integram.
    9 — Nos conselhos de docentes e de turma podem intervir,
    sem direito a voto, outros professores ou técnicos
    que participem no processo de ensino e aprendizagem,
    bem como outros elementos cuja participação o conselho
    pedagógico considere conveniente.

    Gostar

    1. Ah! Ah! Deixa- me rir! Sendo assim, deixa de se aplicar a presença obrigatória, por exemplo, entre outros requisitos ainda vigentes na legislação! Vou ali e já venho…

      Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.