Umas Vezes Generalizo, Em Outras Especifico… A Modos Que É Assim E Assim Será, Salvo Nos Casos Em Que Não Seja

A maior parte dos comentários aos meus posts é feita no fbook, por isso nem sempre passam por aqui algumas das críticas que naturalmente leio, sendo que umas sim, mas outras nim. Porque nem sempre há quem perceba o registo de um blogue e o distinga de outros mais formais.

Por exemplo… há quem ache que em alguns textos faço generalizações abusivas, enquanto há quem ache que em outros sou demasiado específico nas críticas. Quando critiquei o senhor director do IAVÉ por ele dizer-se crítico do sistema de ensino de que é quadro superior há décadas, colaborando activamente com os decisores políticos, houve quem achasse que isso era um desnecessário ataque ad hominem. Quando, mais recentemente, referi que o Ensino Profissional, nos termos em que funciona actualmente em muitas escolas públicas e com as metas estatísticas impostas pelos sucessivos governos, é em larga medida um logro, logo surgiu quem achasse que eu estava a ser injusto com que a generalização, pois há quem trabalhe bem, o que nunca neguei.

A ver se nos entendemos um pouco acerca de um par de três coisas:

  • Há assuntos que, em dado momento, se prestam um tratamento e outros que se prestam a coisa diferente, como diria o Jacques II de Chabanes.
  • Para além isso, aqui o escriba – qual artista em dia de desinspiração – quando escreve e opina, preocupa-se mais em dar a sua opinião, com base nos factos que aprecia em dado momento, do que a opinião que “outréns” acharão por bêêêm. Se acerto ou não é uma questão que, atendendo a que não almejo a infabilidade ditada pela graça do espírito santo (o dos céus, que se entenda…), fica desde já ressalvada na sua humana imperfeição.
  • Aprecio quase sempre a generalidade das críticas feitas com argumentos interessantes, sendo que quase sempre lhes respondo com a minha opinião que, em regra, não é outra senão essa mesma.

Beavis and Butthead

(este é daqueles posts escusados que eu gosto de escrever…)