Sobre a ILC

O Luís Braga explica em maior detalhe a situação, que eu resumo da seguinte forma:

  • Após a admissão da ILC os serviços do Parlamento pediram ao Instituto dos Registos e Notariado que verificasse as assinaturas através de uma amostra. De acordo com a amostra analisada, verificou-se que várias pessoas assinaram com o nome incompleto, formatos errados do número de eleitor ou do cartão de cidadão e outros detalhes desse tipo.
  • Perante isso, e com a consciência de que a plataforma do Parlamento tem imensas falhas, foi dado um novo prazo de 90 dias para recolher um número de assinaturas  que substituam as que se consideram inválidas. Embora ainda em discussão, por extrapolação da amostra, serão um pouco mais de 3500. Infelizmente, não se pode proceder a um “aperfeiçoamento” das assinaturas com falhas, sendo necessárias novas assinaturas.
  • O espaço para as assinaturas digitais continua aqui, pedindo-se com alguma veemência que sejam feitas com rigor. Haverá também a possibilidade de recolha em papel por quem o quiser fazer, estando os elementos no post acima referido do ComRegras. Pretende-se ter esta fase concluída até final de Setembro.
  • Sim, isto é uma treta, mas nada que não se resolva.

ILC final

 

Qual O Patamar Abaixo da Mediocridade?

Maldade?

Não é só por Pedrógão e oportunismos do género, mas sim pelo regresso ao pior do que já tivemos de pior, o domínio do aparelho do Estado e afins por uma clique que tem um pudor muito escasso em o usar em proveito próprio e das suas áreas de negócio.

Com os “radicais” pela trela e os laranjinhas completamente esfrangalhados entre vaidades pessoais e ambições balsemânicas de ser o novo ddt, temos uma Situação a degradar-se em ritmo acelerado, embora com a quase garantia de uma vitória se ninguém perceber como tudo isto nos vai levando de novo para o fundo do pântano, mas claro que com “rigor orçamental”.

black hole