Confirmando O Que Escrevi Ontem…

… e justificando que me abstenha de apoiar qualquer dos partidos da geringonça (à esquerda) ou do pafismo (à direita).

Professores fora das negociações do Orçamento do Estado

Está removido um dos principais obstáculos para a aprovação, à esquerda, do Orçamento do Estado para 2019. Problema reduzido a questão bilateral entre sindicatos e Governo.

Alguém acredita que isto não era já sabido pela Plataforma – ou, no mínimo, pelas duas maiores federações sindicais – em Julho?

Alguém acredita que o MNogueira agirá de forma a desalinhar do PCP?

A sério?

Ou que os sindicalistas do Bloco irão, além das palavras, agir em coerência com o que afirmaram anos a fio?

O S.TO.P. é uma alternativa viável? Como, se nem são admitidos nas negociações com base em questões formais e os restantes sindicatos concordam com a sua exclusão?

Lamento se tinha razão quando escrevia que esta malta troca tudo pelas suas conveniências. Se eu gosto de estar certo nestas coisas? Não e não é por qualquer tipo de animosidade original que desconfio destas criaturas; é a acção ao longo do tempo de certos aparelhistas profissionais que me desperta esta enorme desconfiança. Em 2018 como 2008 ou muito antes.

Querem que acreditemos na “luta”? Apareçam numa sala de aula e trabalhem como professores.

A “luta” é um processo contínuo, de que não se pode desistir e é pela persistência que se conseguem as “conquistas”? Depende… se for em Agosto faz-se pausa.

Portanto, camaradas, ide para onde o sol não ilumina, porque foi para onde nos enviaram.

Tunel

17 thoughts on “Confirmando O Que Escrevi Ontem…

  1. Só ingénuos esperariam algo diferente.

    O PS detesta os Professores (Costa foi nº 2 de um desgoverno cuja ministra da Educação era a megera).
    Bloco e PCP estão-se a borrifar para nós: TRAÍRAM-NOS!

    Vou repetir para os que estavam distraídos: BLOCO E PCP TRAÍRAM-NOS!

    Para o Orçamento passar são precisos os votos deles. Bastava que um destes partidos colocasse como indispensável o apoio aos Professores. Mas não.

    Agora coloca-se a questão: será digno do nome de Professor algum de nós que vote nestes bandalhos?

  2. Sem tirar nem pôr.

    São todos (com exceção do S.TO.P) uns valentes piiiiiii!

    Atenção, porém : o karma é… o PC e o BE que se lembrem bem disto. Mais tarde ou mais cedo vão pagá-las… e bem caro (as).

      1. Olha o educador da classe operária, que saudades… Mas o Arnaldo ainda se lembra de um mural, com o Eanes e a direita reaccionaria que o MRPP pintou em 1976? É, são todos uns oportunistas…

  3. Em tempos, neste blog, foi usada a expressão: “Folclore”, para designar a acção ME.
    Hoje, isso é um elogio!

    Conceito como “recuperação tempo de serviço” ou afins são/foram chavões.
    Hoje, somos vendidos na praça pública como “beneficiando” de “uma bonificação”!
    Hoje, o esbulho, a mentira, a deturpação são a arma de arremesso da Geringonça!

    Não há assépticos, todos foram cúmplices!
    Fazemos contas no acto eleitoral!
    Ponto!

    PS: e a direita escusa de estar a esfregar as mãos…

  4. Então e agora?
    Só porque podemos ter razões para não acreditar nos nossos “lutadores profissionais” vamos limitar-nos a transferir a nossa raiva e o nosso descontentamento só para o momento eleitoral?
    Não será isso uma forma de derrotismo?
    Não é que tenha algo contra qualquer acerto de contas que se possa/deva fazer no momento eleitoral, mas sinceramente acham que nos pode ser útil baixar os braços agora e deixar para aí toda a substância do nosso descontentamento?
    Penso que devemos usar todas as armas que o enquadramento legal ainda nos permite, e nesse contexto e no da fase em que nos encontramos, entendo que uma forma de luta que se pode afirmar como eventualmente eficaz, resgatadora dos nossos direitos e do respeito que nos é devido, seria uma greve por tempo indeterminado, quer pela perspectiva de continuidade (que faltou antes) quer pela pressão que vai desencadear.
    Todos nós nos devíamos preparar para essa eventualidade perdendo o amor a um mês de vencimento. Tal deveria ser visto como um investimento no nosso futuro, o que acompanhado por uma forte campanha de esclarecimento nas escolas junto dos encarregados de educação – com murais, panfletos, comunicações electrónicas, o que imaginássemos como possível – seria uma enorme machadada para desmontar a enorme mentira dos palhaços do governo e nas suas pretensões eleitorais.
    E tal não poderia visar só a contagem do tempo de serviço, mas tudo aquilo que vem ficando sem resposta desde há uns anos a esta parte: horários, componente lectiva e não lectiva, envelhecimento docente e aposentação.
    Será que sou só mais um utopista?

    1. Não, Ruas, não é.

      Subscrevo todo o seu comentário.

      Era, na minha opinião, o que devia ser feito. E, não só com todo o tempo a recuperar mas com todas as outras questões igualmente importantes.

      Guardei boa parte do meu subsídio de férias a contar com essa eventualidade. E fiz “staycation “(férias em casa).

      O derrotismo que por aí anda é atroz e as formas de luta em suaves prestações, S.T.O. P. incluído, com a variante caravana.

      O trabalho intenso em reuniões e diz que são uma espécie de formações continua. Os horários intensos também. Dei uma vista de olhos a horários com redução de idade – horários de manhã e tarde, de 2ª a 6ª, onde se amontoa uma diversidade de actividades chamadas de não lectivas – apoios, tutorias e mais coisas do género.

      E o derrotismo continua e piora. A angústia e a raiva calam-se, metem-se para dentro, ou implodem em críticas em todas as direções.

      Li num comentário algures por aí, a propósito de um novo sindicato, que “finalmente, alguém trabalhava e lutava por nós”.

      Passei para o correio da manhã para saber se a Megan Markle estará grávida ou não e mais o caso da Serena Williams.

      E porque é que não nos levantamos do chão?

    2. A OPORTUNIDADE ERA JUNHO E JULHO!

      Agora querem recuperar para a luta gente que se sente abandonada e traída pelos nogueiras desta vida? Gente que perdeu centenas de euros apenas para participar no baile orquestrado pelo PC, BE e sindicatos?

      Acordem, c…! Abram os olhos de uma vez por todas!

      O Paulo farta-se de escrever aqui, denunciando toda a hipocrisia e corrupção moral (além da outra €) que pulula por aí, e ninguém lê? Ninguém atenta no que denuncia?

      Tenham santa paciência! Não ouviram o despertador e acordaram tarde.

  5. Hoje a TSF até meteu dó .
    Toda a manhã a noticiar que os Professores portugueses são os melhor pagos do mundo e arredores. Estudo europeu … melhor pagos que todos os outros licenciados. Vergonhoso,nojento !!!

  6. E Agora, Colegas? Já sabem o que fazer com o vosso “votozinho” nas próximas legislativas, certo? Ou vão deixar-se enganar novamente?

    E agora Marinho? Com que então a Vossa “luta” é que estava certa e tal… A ILC era dos traidores… Vê-se. Está à vista. Não contem comigo para os vossos arraiais. Com que então surpreender os governantes no verão, não é? Conversa fiada. Comediantes. Farto de encenações estou eu. O PCP era um partido sério no tempo do Cunhal. Agora? Vendem-se por vinténs. Só para continuarem na engrenagem. Tenham vergonha!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.