Olhó Zé!

Este é assumidamente um post com maus fígados, porque há uma altura em que um tipo perde a paciência, por muito que se queira manter as coisas em perspectiva.

ZedaFenprof.png

Hoje ao fim da tarde, encontrei na TVI24 o operacional de serviço no concelho onde lecciono, que até este ano ia quase sempre fazer as prédicas à minha escola, sendo que estava a dirigir a única reunião sindical a que fui, há quase 10 anos, antes do rapaz se amofinar com as minhas perguntas e me mandar sair, com todo o sentido de democracia e diálogo que lhe assiste, quando não parte apenas para a estratégia de falar mais alto do que os outros. Com uma redução de quase 80% do horário lectivo, é capaz de ter 4-5 horas de aulas por semana, na pior das hipóteses para ele. E ainda querem que uma pessoa se sinta bem “representada”. Logo na véspera da coisa é morte certa de qualquer vontade. Phosga-se!

(e que se lixe que digam que estou a devolver ataques ad homimem… não sou cristão, pelo que não esqueço, não dou a outra face e raramente perdoo a este tipo de criaturas)

26 thoughts on “Olhó Zé!

    1. Em julho andaram a fazer bullying e a dizer-me na cara que a greve era ilegal. Depois a dizer que tudo se ia resolver na reunião com o ministério. Agora querem-me novamente para a luta…

  1. Amanhã vou caminhar e respirar a brisa marítima…..

    Assim como o “Um Deus Passeando pela Brisa da Tarde”, só que é uma Deusa e é pela brisa da manhã, com máquina fotográfica a tiracolo.

    Grande escritor, o nosso Mário de Carvalho e que bom livro este!

  2. Só não percebo uma coisa. O seu intuito em desestabilizar a reunião foi por não ter gostado que o Zé tivesse lá ido à escola ou foi porque desejava que ele fosse lá mais vezes?

  3. Votos sinceros de uma boa semana para todos os que democrática e legitimamente fizeram (ou vão fazer) greve e também para aqueles que, de forma igualmente democrática e legítima, decidiram fazer greve à greve. 🌞

    1. Ora nem mais, Ana!
      Cada um agirá de acordo com a sua consciência e as suas convicções.
      Não farei grave, pois, tal como já foi dito aqui, também abomino os “profissionais da luta”, que, na minha opinião, não representam os interesses dos professores, mas sim os seus próprios interesses ou os interesses partidários dos quais são meros elos de transmissão.
      No entanto, respeito a decisão de quem acha que deve fazer greve!
      Boa semana a todos!
      José

      1. José,

        “Não farei grave, pois, tal como já foi dito aqui, também abomino os “profissionais da luta”….”

        Ainda me consigo pasmar com esta razão apontada.

        Não se “abomina” quem manda, mente, denigre e cumpre ordens das Finanças. Abomina-se….os sindicatos.

        Respeito o espírito democrático da questão e que a Ana A. bem explicitou.

        Mas o que li no seu comentário não tem a ver com liberdade de expressão ou de acção.

        É ligeiramente bacoco.

      1. Reformulo : “Mas o que li no seu comentário não tem a ver com democracia e espírito democrático”

        É toda uma outra coisa e a gente não pode pactuar com tudo só porque se tem de ser muito democrático.

      2. Ó F,
        Um conselho: não perca tempo a tentar “evangelizar-me”. Sabe porquê? Penso pela minha cabeça e não pela cabeça de outros! Abomino, sim, abomino as estratégias de atuação dos “profissionais da luta”. Podia gastar algum do meu tempo a tentar dar-lhe inúmeros exemplos de estratégias e modos de atuação de sindicatos/sindicalistas, que não só foram (e continuam a ser) altamente “duvidosos de um ponto de vista ético” (digamos assim, de modo eufemístico), como foram (e continuam a ser) extremamente gravosos para os professores. Porém, com toda a sinceridade, não me apetece gastar o meu tempo consigo!
        Se a F admira os sindicatos/sindicalistas, ótimo para si! Respeito, mas não subscrevo!
        Sabe, já há muito percebi ao que anda neste blog e as ideias (e pessoas) que defende.
        Não pretendo dar-lhe qualquer futura resposta , por isso peço-lhe o favor de ignorar os meus “posts”, que eu farei (como sempre fiz) o mesmo relativamente aos seus!

  4. Na minha escola, os “lutadores” de junho e julho, que até perseguiam os colegas que não alinhavam na farsa, hoje, compareceram todos na escola. Gosto particularmente da coerência destas colegas. Luta, luta, mas só quando dá jeito para ir à praia.

  5. José,

    Todo o mundo me diz para não perder tempo;
    Todo o mundo me pede para não “evangelizar”;
    Todo o mundo me diz que sabe “ao que ando” neste blog;
    Todo o mundo me dá conselhos para “migrar”
    Todo o mundo me diz para ir para outro lado pois aqui “infecto”

    Agora, a nova modalidade é “não comente o que escrevo, ignore o que escrevo”.

    Não.
    Não faço nada disso.
    Aguentem-se à discussão de ideias (de modo minimamente educado).
    Então, só se pode concordar?

    Claro que vou comentar o que escreve quando achar que o devo fazer.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.