Ainda Há Esperança?

Após dois quizzes (questionários online, mas gosto de me fazer modernaço) sobre as primeiras comunidades sedentárias e o Antigo Egipto (mesmo que não tivesse escapado à razia das “aprendizagens essenciais” eu iria tratá-lo na mesma em nome da minha autonomia profissional contra a promoção da ignorância) em que uma turma de 7º ano andou ali, em termos globais, um pouco acima dos 50% de acerto, pediram-me um sobre o Fortnite. Acedi. Alcançaram um score (ó pra mim com o lingo dos tempos) pouco acima dos 30%.

História Antiga 1, Fortnite, 0. Sorry, SE Costa, ainda há quem goste de “empilhar” conhecimentos de História e de os partilhar com os alunos.

CatAlice

 

Ainda Sobre As Juntas Médicas

Há experiências de todos os tipos, vistos que existem Juntas Médicas também de vários formatos. Os relatos que me chegam de alguns procedimentos e comportamentos são, em tregra, um bocado assustadores na sua burrocrática desumanidade. Exigem-se imensos relatórios especializados a médicos especialistas – em especial quanto a pedidos de aposentação por incapacidade – que depois são perfeitamente ignorados por médicos que não percebo se são generalistas.

Atente-se nas seguintes passagens de diversos relatórios médicos sobre uma colega, que não conheço pessoalmente, mas que me autorizou o uso destes elementos, elaborados por diversos especialistas:

Psicólogo Clínico:

JuntaPsic1JuntaPsic2

Psiquiatra

JuntaPsiq

Neurocirurgião:

JuntaNeuro

Desfecho: chega uma senhora doutora clínica geral ao serviço da CGA (que, curiosamente, encontrei em contratos com o IPDJ para acções de Controlo de Dopagem no mesmo ano desta Junta) e declara que está tudo bem… o que os seus colegas especialistas (e atenção que existiam mais relatórios, eu só seleccionei umas passagens) escreveram é, por certo, uma piedosa ficção e vai de fazer a cruzinha e mandar a senhora professora trabalhar que se faz tarde.

JuntaAprec