Sobre a ILC

Iniciativa legislativa de cidadãos para contagem do tempo de serviço dos professores regressa ao Parlamento antes do fim do debate orçamental

Anda tanta gente preocupada com a qualidade de outras Democracias. Que tal verem dos problemas de qualidade e de respeito pela cidadania da nossa?

A Iniciativa Legislativa de Cidadãos para a contagem integral do tempo de serviço docente, já convertida em Projeto de lei com o número 944/XIII, volta amanhã a ser submetida para admissão a debate na Assembleia da República. Foi enviada por correio uma exposição ao Presidente da Assembleia da República, visando desbloquear o início do debate da ILC e remetendo mais assinaturas em papel.

Neste momento, a ILC reúne cerca de 21800 assinaturas, considerando as que foram recolhidas em suporte digital no site do Parlamento (em que foi a primeira ILC a usar essa possibilidade, estreando a plataforma eletrónica) e as que foram, entretanto, recolhidas em papel. Tem, portanto, mais cerca de 1800 assinaturas que o mínimo (20 mil) necessário para ser debatida no Parlamento como projeto de lei.

No momento da sua admissão, após um processo de verificação administrativa por amostragem, que a Comissão Representativa da ILC qualifica de incorreto, desrespeitador da lei e afetado por graves problemas de cientificidade, o Presidente da AR decidiu que deveriam ser recolhidas mais assinaturas do que as mais de 20 mil que já constavam do site do parlamento.

Essa decisão foi contestada pela Comissão Representativa que insiste na constatação de que o processo de verificação enfermou de graves problemas técnicos (a amostra de verificação, que baseou a decisão, não cumpriu critérios estatísticos e foram verificados aspetos que a lei não impõe e em que as deficiências de preenchimento pelos cidadãos resultam, quando existam, de problemas de construção e funcionamento do site do próprio Parlamento).

Assim, tendo tentado “corrigir” dados de assinaturas, contactando muitos dos cidadãos incluídos na amostra de assinaturas anuladas, verificou-se que muitos nada podiam corrigir, porque não tinham dados inválidos.

A exaustiva exposição dos nossos motivos foi objetivamente ignorada pelos serviços do Parlamento que mantiveram a sua posição burocrática e majestática de não contribuir para a correção dos problemas que alegam (por exemplo, contactando por si próprios os cidadãos cuja assinatura reputam de inválida, de quem tem os dados no seu site, onde estes se inscreveram).

Os deputados de todas as forças políticas e a Comissão de Educação receberam muita informação sobre o problema mas, além de acusarem a receção, pouca ou nenhuma atividade evidenciaram no sentido de o resolver (quer o do debate e dificuldades administrativas da ILC, quer a questão principal do tempo de serviço dos professores).

A Comissão Representativa que lançou a iniciativa fê-lo porque acredita na Democracia e nos seus processos essenciais. 

Tem a satisfação de verificar que, apesar de ter sido muito criticada no lançamento da iniciativa, até por sindicatos, a relevância pública que a ILC atingiu abriu caminho à posição atual, que os sindicatos partilham, de que a solução do problema está na negociação e debate parlamentar. A atividade sindical, lançada há poucos dias, de apelar à escrita de mensagens aos deputados teria sido muito oportuna se tivesse sido lançada a tempo de promover o real debate de uma proposta de lei viável como era a ILC.

A ILC por existir valoriza o papel e imagem do Parlamento. 

Lamenta-se que, num tempo de populismos e desconfiança dos processos democráticos, a Assembleia não se valorize a si própria e ignore a participação dos cidadãos, usando surpreendentes e mal sustentados subterfúgios burocráticos para evitar debater o incómodo que uma proposta de cidadãos causa às forças políticas.

Neste momento agradecemos a todos os que colaboraram connosco na recolha de assinaturas e, mesmo que o Parlamento persista na sua ideia de recusar debater o que 21800 pessoas lhe propõem, o grupo de proponentes não deixa de manifestar a sua confiança na Democracia, mesmo quando ela funciona mal e com lógicas de amanuense. A grande virtude que tem é que pode ser melhorada,  mesmo quando se lhe veem esses defeitos.

6 de Novembro de 2018

Anexo: ILC Texto AR.

ILC final

Anúncios

28 thoughts on “Sobre a ILC

  1. Parto tão difícil…
    Ridícula posição das forças sindicais…
    Sinceros parabéns ao grupo proponente e a todos os subscritores da ILC.
    Resta-nos aguardar.
    Mas aguardar atentamente a posição das várias forças políticas…

  2. Obrigada pela iniciativa!
    Estamos cá “para o que der e vier”.
    O belo exemplo de exercicio de Cidadania por parte dos Professores! (Pena que sejam só alguns mas “as ações ficam com quem as pratica” e dos medrosos “não reza a História”)

  3. um aspeto positivo desta ILC foi demonstrar que ainda temos uma democracia pouco evoluída, e que o poder é ocupado por gente sem espirito democrático. É pena que não exista um ‘trump/bolsonaro’ que tenha como alvo especifico e exclusivo este tipo de gente…

      1. mario silva,

        “É pena que não exista um ‘trump/bolsonaro’ que tenha como alvo especifico e exclusivo este tipo de gente…”

        Inaceitável o que escreveu.

  4. Não querendo abusar do esforço de alguns para benefício de muitos / todos, não se poderia fazer uma versão simplificada deste texto para que seja “facebookada”?

    …o uso de mensagens digeridas passa melhor nas redes sociais…

  5. Obrigado a todos pelo esforço e determinação. Os sucessivos obstáculos que vão sendo colocados pelos instalados no aparelho fazem perder as estribeiras a qualquer um e têm como único objetivo desencorajar, vencer pelo cansaço… Por isso, é de louvar tamanha coragem!

  6. Ora, nem mais! Excelente texto. Grata pela iniciativa (pioneira) que pede o que nos é devido. Uma verdadeira lição de DEMOCRACIA para aqueles que a deveriam saber garantir. Bando de avestruzes (com o devido pedido de desculpas para os animais, que não têm culpa) com a cabeça enfiada na areia. Deviam ter vergonha.

  7. Os principais sindicatos, esses arautos da Democracia!, conseguiram até agora ir “assobiando para o lado”, ignorando ostensivamente esta iniciativa, ou mesmo fazendo pressão contra a mesma…

    Deplorável esta atitude.

    A agenda política e a ânsia por protagonismo são tramados, mas não deixam de ser elucidativos e demonstrativos da postura dessas organizações sindicais. Que belíssima defesa dos interesses da classe docente! Ou deveremos dizer dos seus próprios interesses?

    Os professores agradecem, certamente… Continuem a pagar as quotas que estão muito bem representados!

  8. Hoje recebi este mail da AR:

    Assunto: Atualização de estado de iniciativa

    Exmo(a). Sr(a).
    o estado da iniciativa legislativa Consideração integral do tempo de serviço docente prestado durante as suspensões de contagem anteriores a 2018, para efeitos de progressão e valorização remuneratória foi atualizado para:

    A aguardar admissão

    Para aceder aos detalhes clique aqui.

    Este email foi gerado automaticamente, por favor não responda.

  9. Recebi o mesmo que Paula Guimarães, hoje.
    Muito obrigado aos colegas promotores da iniciativa. Esperemos que seja desta e que não haja mais crashes…
    Vi ontem o MN a distribuir panfletos pela web summit… Really?! Não faria melhor em apoiar ILC?

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.