Princípio do Contraditório

Comecei (ou recomecei) uma colaboração com o Educare. Esta semana sai a primeira parte de um texto a completar no início de Dezembro e que já conhecerão, no essencial, aqui do blogue. A partir do início de 2019, os artigos sairão na primeira semana de cada mês.

Estou consciente de que o poder que está não se incomoda muito com palavras e que a estratégia da indiferença é a regra, quando não se mandam umas cortesãs ou cortesãos contraditar sob pseudónimo, mas… quem cala, consente. E enquanto puder ter “voz”, usá-la-ei.

Uma Mistura Explosiva – Parte I

Assistimos à promoção de uma Educação Mínima (talvez a possamos chamar de “aprendizagens essenciais”) que tem como efeito a promoção activa da Ignorância, disfarçada por retóricas que apresentam os “Conhecimentos” como algo “empilhável” e muito relativo, em que Ciência e Crença são apresentadas quase (ou mesmo) como equivalentes.

Educare

6 thoughts on “Princípio do Contraditório

  1. Que nunca lhe doa a mão para segurar na pena… Alguns destes ”iluminados” ,que estavam lacrados na tumba, têm, com a legislatura do Professor Tiago Rodrigues, a oportunidade de uma vida… Para além de recuperarem o mais bacoco do que se convencionou chamar de Eduquês aproveitam, Ariana e Companhia, para mostrarem o seu acinte , no que vamos vendo e lendo, para com os reaccionários que não se acolhem sob o manto da luz de sua sabedoria… É uma promoção desbragada da ignorância; da pseudociência a entrar escola dentro; de um encostar os professores às tábuas ; que aceitem a responsabilidade total na aprendizagem dos alunos, esquecendo que não será a escola a resolver problemas que são eminentemente políticos e de ordem económica: não se resolvem com RTPS com acomodações e discursos bacocos em manuais de execução do poder pedagógico em vigor… Mais uma vez estiveram-se a borrifar para os professores, seguindo a sua agenda de gabinete onde tudo funciona por não ter nada a ver com o mundo real…

    1. Sim, “agenda de gabinete”, diz bem, mas que serve para quem?. Para os outros. Sim, é só ver onde os “agentes do gabinete” têm os filhos. No privado. E porquê? Porque os melhores colégios privados de Lisboa ignoram estas balelas da flexibilidade, das aprendizagens essenciais e o resto da tanga. É o ensino tradicional puro e duro, mais tecnologia, mais visitas de estudo, mais n actividades extra-curriculares. Formação completa, portanto. Conclusão: o povo quer-se estúpido mesmo. É mais fácil para governar. Depois, é só dar Fado, Futebol e Fátima. E que se f— todos.

  2. Muito obrigada Paulo!

    Mais uns meses e veremos regressar (como totalmente inovador e visionária) aquelas formações para professores das crianças índigos, das crianças cristal … ah e aquela das Auras.

    O que me põe doida é ter “colegas” de profissão que se disponibilizam
    Estamos a preparar a geração que mais usa / depende da ciência mas há quem embarque nisto e incentive alunos
    Costumo pedir-lhes que me ensinem a usar as tais “energias” para carregar/ligar o telemóvel, o tablet, o frigorífico, a TV … é que a minha conta da EDP até assusta e essas “energias modernaças” davam-me mesmo um jeitão

  3. Um bom texto, se me permite, e sem qualquer lisonja.

    “quem cala, consente. E enquanto puder ter “voz”, usá-la-ei.”

    É também o que penso. E cada um de nós fá-lo como pode – comentando textos ou nos seus locais de trabalho, onde a “voz” cada vez menos se faz ouvir por já não se acreditar em nada ou por mero comodismo ou ignorância.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.