A Mentira É Que É Lamentável

Porque só quem mudasse de escalão no próximo dia 1 é que teria esse tempo contado e todos os restantes a partir da data da mudança de escalão, sem que isso tivesse efeitos práticos (com escalões de 4 anos, de nada serve antes de 2021), excepto para quem passasse do 4º ao 5º escalão, passagem essa que está sujeita a quotas e se aplica a um número residual de docentes.

“O Governo lamenta o facto de os educadores e os professores dos ensinos básico e secundário não poderem ver contabilizados já a partir de 1 de janeiro de 2019 os dois anos, nove meses e 18 dias”, previstos no decreto-lei hoje vetado pelo Presidente da República, lê-se num comunicado do gabinete do primeiro-ministro, António Costa.

Esta declaração é de uma enorme falta de pudor, porque se baseia num “facto alternativo”. Pela minha parte, podem guardar este tempo de serviço onde bem entenderem. se possível onde o sol não chegue.

Mentira

E O Verbo Fez-se Veto

De acordo com o que acho certo e justo, mas contra as minhas expectativas… perante tanto spin colocado em movimento nas últimas semanas. E com uma fundamentação que acho meramente formal e inócua que é ultrapassável pelo governo.

Marcelo veta diploma do Governo sobre o tempo de serviço dos professores

Presidente da República diz que executivo está obrigado a voltar à mesa das negociações porque é isso que está consignado no Orçamento do Estado para 2019. Este é o 11.º veto de Marcelo e o terceiro a ser dirigido a um diploma do Governo. O gabinete de António Costa já lamentou a decisão.

Haveria uma solução… aproveitando que a ILC abriu novo “processo legislativo sobre o assunto, os partidos assumirem por inteiro as suas meias-acções, pois existe mais do que folga orçamental…

Claro que isto pode dar em nada… mas ao menos vai irritar costas, porfírios, césares, trigos e tantos outros.

Artificio

Sim, Precisamos Destes Dias…

… para conseguir fazer algum reset ao “sistema. E quando me aparecem pessoas de “órgãos de gestão” (leia-se “direcção”), por amigas que sejam, com o argumento de que são obrigados a passar parte destes dias na escola costumo só fazer duas perguntas:

  1. A quantas turmas dás aulas ao longo de todo o ano e quantas horas lectivas tens no horário?
  2. Quanto recebes de suplemento remuneratório pelo cargo que ocupas?

E acrescento que concordo com algumas das vantagens da função, discordo é que queriam fazer comparações com o resto do pessoal, ao longo do resto do ano. Se acham mal o trabalho que têm, é fácil resolver isso. Voltem para o que abandonaram por vontade própria e sem serem forçad@s.

thumb

Aforismos do Ano

Tod@s por uma password, uma password para tod@s.

ou

Há ir e voltar, ir e voltar, ir e voltar, sem sair do lugar.

palaciodesaobento

(ocorreu-me ao ler estas coisas do PR, que parece  ter aderido àquela teoria imaterial do “bem comum” como se uma sociedade não se fizesse das partes e a Nação se devesse sobrepor aos indivíduos ou grupos)

As Personalidades do Poder

Há @s carentes de amor e afeição, que precisam que todos gostem del@s para se sentirem bem consigo. Depois há quem tenha lido Maquiavel e prefira que @s receiem, que a aceitação seja pelo temor das consequências. E há quem apenas goste de ser respeitad@, sem medos ou amores por obrigação. Claro que há uma quarta categoria – no mínimo – que é d@s indiferentes a quem basta como satisfação terem o poder e exercê-lo, sem grandes preocupações metafísicas.

reisol

E isto aplica-se a todas as escalas, porque os poderes dependem de seres humanos e cada um@ carrega consigo a sua forma de estar.